New Reply
Name
X
Email
Message
Files Max 4 files100MB total
Password
[New Reply]


1637221241985.jpg (u)
[Hide] (14.5KB, 372x301)
Acho que deixei de ser gamer
Não há rigorosamente nada que queira jogar ou tenha curiosidades em experimentar
Não sei como lidar. Não tenho mais nada na minha vida sem ser anime.
Será o fim?
Replies: >>4615
Ultimo lançamento que comprei e/ou fiquei empolgado foi o Half Life Alyx. Tem sim jogos bons por ai, mas não sinto nem vontade de jogar.
Esse mes comprei e pedi refund com 3 jogos indies que sempre achei que iria gostar, mas joguei 10 minutos e bleh.
78b267c5351b69c2b5fb3831bc34e94af05a48d61a1d70b2b7441107c5a691a0.jpg (u)
[Hide] (80.4KB, 622x800)
9b9a0daa7c45a8cdcd87c9e3c49cf9755022b2ee0c5bcd2955f9213c5b4f8b44.jpg (u)
[Hide] (127.9KB, 1280x960)
Eu senti isso em relação às consolas: fui da PS3 para a PS4 e depois de jogar os exclusivos senti me meio aborrecido porque não gosto de FPSs multiplayer ou de ""RPGs"" de grindanço mundo aberto que são praticamente 80% dos catálogos hoje em dia dos jogos normalóides.

Entretanto arranjei uma Interruptor e andei naquilo mais uns mesitos enquanto tombava aqueles jogos meme da Nintendo mas também me aborreci rápido porque achei aquilo igual às coisas que já joguei na N64, na NDS e em todas as consolas nintendo que tive em garoto.

Vendi as duas (e até lucrei com a Switch) e agora basicamente jogo no PC 24/7 onde ando a revisitar alguns joguetes clássicos através de VMs e cada vez mais acho que é a única plataforma onde se pode jogar bem e com qualidade para sempre.
Ser gamer é um meme. Não precisas de jogar tudo o que é recente para passar um bom bocado, isso é a pressão de pares e o capitalismo do jogo a fazer-te a cabeça. Tenho um PC para jogar AAA e tenho-o porque quis começar a jogar um alfa com anos de vida como o Star Citizen que recomenda 32 gigas de ram só pelo luls de ser alfa. Senão só jogava minecraft com >200 mods e shaders e Stardew Valley com >150 mods. E Skyrim/Fallout New Vegas todo kitado com aqueles packs tudo em um. Sou menos gamer que o #user562456 que joga Forza Horizonte da moda? Não.
Replies: >>4576
>>4574
>Não precisas de jogar tudo o que é recente para passar um bom bocado
Ninguém disse isso. Não jogo muitos AAA
Mesmo indies neste momento não me motivam.
Replies: >>4577
628a726300d998615e7925d0fcc2ccac741d314fa97e19e45286bc9a70bcfb36.jpg (u)
[Hide] (678.3KB, 3000x2108)
>>4576
Provavelmente caíste no meme da pica relatada, jogos que se assumem não-ironicamente como indie são quase tão maus como os AAA porque todo o processo de criação é uma imitação daquilo que funcionou a grande escala nos outrora processos independentes.

Tenho milhares de joguetes para te sugerir mas tens de indicar mais ou menos o que raio gostas para te ajudar. Já jogaste algum Shin Megami Tensei?
Replies: >>4578 >>4585 >>4587
>>4577
Mas há aí jogos não ironicamente bons
Nunca joguei, é sobre o quê/é giro?
Gosto de RPGs
Replies: >>4579
>>4578
>Mas há aí jogos não ironicamente bons.
É discutível, no mínimo, mas eu também nunca disse que eram maus mas sim repetitivos em termos de conceito, aspecto e até mesmo como se apresentam ao jogador e claro que te vais cansar rapidamente se andares constantemente a coonsumir todos os jogos feitos a tentar imitar outros clássicos com menor alma.~
>Nunca joguei, é sobre o quê/é giro?
É uma série de RPGs japomerdas com quase trinta anos que normalmente engloba demónios, escolhas de moralidade, seitas abraâmicas maluquinas e uma sub-série (Persona) que lida com isso tudo e escolinhas japomerdas e esposas, os jogos são muito diferentes uns dos outros e estão espalhados por várias consolas desde a SNES até à Interruptor mas recomendo o Nocturne e o P3 que consegues arranjar para emulador ou numa PS2 velha qualquer.
>Gosto de RPGs.
Pillars of Eternity, o adpreto também gosta, portanto sabes que é bom.
224rar.PNG (u)
[Hide] (1.1MB, 750x604)
>>4577
E ironicamente?
99564864950ce4d714594ad34d395f7da0e53a730ec862286f992747c2d0a4fd.png (u)
[Hide] (108.3KB, 493x391)
>>4577
>jogos que se assumem não-ironicamente como indie são quase tão maus como os AAA porque todo o processo de criação é uma imitação daquilo que funcionou a grande escala nos outrora processos independentes.
O que é que isto sequer quer dizer? Jogos electrónicos, sejam eles publicados independentemente ou não, são em 99% dos casos derivativos de jogos anteriores. Quando enaltecemos a originalidade de um jogo moderno, geralmente deve-se a um pequeno elemento no meio de vários outros elementos já experimentados exaustivamente em jogos anteriores. Indies não são automaticamente bons por serem indies, mas têm absolutamente a vantagem de serem projectos mais ou menos contidos e com uma visão criativa bastante focada; e mesmo que se debrucem sobre mecânicas já antes experimentadas mas com este ou aquele refinamento ou novo elemento, tudo o que importa no final é o quão polido o produto final é. Um jogo criado e publicado por um Tobias Raposo não é de todo comparável a um Vermelho Morto Redenção com legiões inteiras de devs com uma pluralidade visões e aspirações dispares que naturalmente nunca poderiam ser consideradas ou finalizadas no projecto final.
Replies: >>4599
27e7b2a269f8264bf8d27c6a576847732cbf349faeb7db2e5aaaa0dc76eef4b8.PNG (u)
[Hide] (841.5KB, 862x646)
>>4587
> Jogos electrónicos, sejam eles publicados independentemente ou não, são em 99% dos casos derivativos de jogos anteriores. Quando enaltecemos a originalidade de um jogo moderno, geralmente deve-se a um pequeno elemento no meio de vários outros elementos já experimentados exaustivamente em jogos anteriores.
Não era isso a que me estava a referir e isso é mais que óbvio, todo processo criativo seja um joguete ou animu é o resultado de várias influências fragmentadas e como o criador as interpreta, estava-me a referir antes à moda recente que alguns devs manhosos ganharam de desenvolver um jogo em pixel/3dprimitivoàlàps1/2.5d, espetar um metroidvania, uns diálogos intencionalmente vagos e chamar-lhe um ""jogo indie"" como faziam e ainda fazem há uns anos com as bandas ""indie"" de jovens hiperborianos de camisolas de flanela, bigodes de homosexual dos 80as e musiquinha ligeira em lo-fi intencional.

>Indies não são automaticamente bons por serem indies, mas têm absolutamente a vantagem de serem projectos mais ou menos contidos e com uma visão criativa bastante focada; e mesmo que se debrucem sobre mecânicas já antes experimentadas mas com este ou aquele refinamento ou novo elemento, tudo o que importa no final é o quão polido o produto final é.
Acho que isso talvez seria verdade há uns anos atrás, mas grande parte destes jogos independentes agora vivem do CedoAcesso e o PontapéComeça, prometer ali umas coisas fixes e muitas vezes mentir descarademente para ganhar financiamento e depois lançando o jogo em betas glorificados que vão sendo atualizados, não é muito diferente do que grande parte dos AAAs hoje fazem.
>Um jogo criado e publicado por um Tobias Raposo não é de todo comparável a um Vermelho Morto Redenção com legiões inteiras de devs com uma pluralidade visões e aspirações dispares que naturalmente nunca poderiam ser consideradas ou finalizadas no projecto final.
Acho que isso é um bocado como o meme do pequeno negócio, até podem existir microestúdios e criadores independentes bons mas a proporção deve ser um bocado ela-por-ela, até porque moralmente não faltam aí casos de pequenos estúdios onde os desenvolvedores são escravizados como na RisotaPeixe.
>>4571 (OP) 
joga Sengoku Rance, precisas de jogos com anime [spoiler]e punheta[/spoiler]
Replies: >>4616
>>4615
> [spoiler]e punheta[/spoiler]
Mata-te
[New Reply]
12 replies | 7 files
Connecting...
Show Post Actions

Actions:

Captcha:

Instructions
NotíciasRegrasFAQLegal/DMCASourceDoar

Todas as marcas registadas, direitos de autor, comentários e ficheiros neste site são propriedade e responsabilidade dos seus respectivos autores e proprietários. Só um louco levaria o que aqui é escrito a sério.