[ * ] [ c / des / n / t / u ] [ int / luso ] [ b / con / pol / xxx ] [ meta ] [ doar / info / regras / notícias / https / git ]

/des/ - Desporto, Fitness e Saúde

Name
Email
Subject
Comment
File
Embed
Password(For file deletion.)

Allowed file types: jpg, jpeg, bmp, gif, png, webm
Max filesize: 10 MB.
Max dimensions: 10000 x 10000.


File: 1501858293144.jpg (106.26 KB, 686x890, 79_VP_2017.jpg) ImgOps Exif Google

1b693 No.21342

Bem-vindos ao fio oficial da 79ª Volta a Portugal em bicicleta Santander-Totta.

6e0ae No.21343

1ª etapa, 5.4km, contra-relógio, Lisboa-Lisboa

6e0ae No.21345

sente bem ouvir isto

6e0ae No.21346


daedf No.21348

>>21345

Ainda sou do tempo em que deram na Sic. O generico também era engraçado

1b693 No.21349

File: 1501865738414.jpg (133.6 KB, 960x627, Gaudin.jpg) ImgOps Exif Google

Boa tarde a todos e bem-vindos ao resumo do Prólogo da 79ª Volta a Portugal em bicicleta.

Nesta Sexta-feira, 4 de Agosto e com uma temperatura a rondar os 35ºC, Damien Gaudin da Armee de Terre, conquistou a Camisola Amarela com um tempo de 6m24s no contra-relógio de Lisboa com 5,4 kms. A apenas 1s, Domingos Gonçalves da RP-Boavista, seguido de Alejandro Marque do Sporting-Tavira.

Não percam amanhã, a partida da 1ª Etapa que ligará Vila Franca de Xira a Setúbal, e onde estaremos presentes no Passeio da Volta 2017!

0a4d6 No.21350

Ainda não consegui perceber se estes fios de ciclismo são irónicos.

6e0ae No.21354

>>21349
Bom ver que não ficaste pelo Tour. Não deve haver Volta pior que esta mas que se foda.

708be No.21358

sdds vitor gamito

ce5fe No.21365

A etapa de hoje é interessante. Não ironicamente.

6e0ae No.21368

Bom dia a todos e bem-vindos à 1ª etapa (tecnicamente é a 2ª) da Volta a Portugal. Como é que correu o vosso passeio matinal de bicileta?

Vila Franca de Xira - Setúbal, 203km
Começo por volta das 15h

Mapa: http://www.volta-portugal.com/imagens/etapas/mapas/etapa1/mapaEtapa.jpg
Altimetria: http://www.volta-portugal.com/imagens/etapas/mapas/etapa1/altimetria.jpg

Antevisão da etapa: http://www.volta-portugal.com/imagens/etapas/mapas/etapa1/Video_Etapa.mp4

a06e4 No.21369

>estou entretido a ouvir a música popular e a ver os doces tradicionais e enchidos das terras
>de repente mudam para as bicicletas

que caralho

09091 No.21370

Manos alguem me explica porque é que a volta a portugal nao é continua?
eles acabam etapa n num sitio e a etapa n+1 começa do outro lado do pais. Isto nao é desgastante para os ciclistas terem de , depois de passar o dia todo a dar ao pé ainda teem de viajar?

6e0ae No.21378

Boa etapa, conseguiu ser bem interessante. Gostei do esforço do camisola amarela, mais um bocado e ainda lutava por ela mas não deu para tudo.

1b693 No.21385

File: 1501966129977.jpg (82.18 KB, 960x640, alarcon.jpg) ImgOps Exif Google

1ª etapa - Vila Franca de Xira-Setúbal (203 km) Raúl Alarcón (W52-FC Porto) é o novo Camisola Amarela da Volta a Portugal Santander Totta. O espanhol atacou em plena descida da Serra da Arrábida e rolou os últimos dez quilómetros da primeira etapa completamente isolado. Na recta da meta, no centro de Setúbal e com os perseguidores já muito perto, o espanhol olhou para trás, mediu a distância para o grupo onde estavam vários candidatos e abordou confiante a linha de chegada.

>>21368

Boa, um colaborador :D

ca868 No.21396

>>21385
odiei este final
sou de Setúbal, faço aquela última descida não sei quantas vezes e a passividade dos perseguidores matou-me
dava perfeitamente para apanhar o gajo
grande merda

e a merda da câmara não sabe organizar as cenas para fazerem a verdadeira subida da Arrábida, das praias até ao topo


enfim

1b693 No.21397

>>21396

Conheço bem a Arrábida, pois sou do Núcleo de Cicloturismo de Sesimbra; essa subida é lixadinha, e os organizadores (Podium)não querem cansar os atletas logo no segundo dia :P Esta Volta é ão má, que de tão má promete ser boa.

6e0ae No.21413

Bom dia a todos e bem-vindos à 2ª etapa (tecnicamente é a 3ª) da Volta a Portugal. Como é que correu o vosso passeio matinal de bicicleta?

Reguengos de Monsaraz - Castelo Branco, 214.7km
Começo por volta das 15h
Terreno irregular apesar dos últimos kms serem planos.

Mapa: http://www.volta-portugal.com/imagens/etapas/mapas/etapa2/mapaEtapa.jpg
Altimetria: http://www.volta-portugal.com/imagens/etapas/mapas/etapa2/altimetria.jpg

Antevisão da etapa: http://www.volta-portugal.com/imagens/etapas/mapas/etapa2/Video_Etapa.mp4

6e0ae No.21433

>>21413
Só agora acabei de ver a etapa. Gostei do esforço do Travis Samuel, notava-se que queria que a fuga desse resultado. O outro gajo de amarelo na fuga foi levado ao colo e nunca trabalhava.
Kekei quando nos últimos kms se enganaram no caminho.
Isto continua a ser uma merda.

1b693 No.21445

File: 1502064427688.jpg (96.03 KB, 960x640, Samuel.jpg) ImgOps Exif Google

Boa noite, cá estamos para o resumo da 2ª Etapa da Volta a Portugal 2017!

Reguengos de Monsaraz - Castelo Branco (214,7 km)

Foi um sprint discutido ao milímetro no empedrado da Avenida Nuno Álvares, em Castelo Branco, que deu o triunfo a Samuel Caldeira (W52-FC Porto) na segunda etapa da 79ª Volta a Portugal Santander Totta. Na hora de festejar, o algarvio abraçou-se emocionado a Raúl Alarcón, companheiro de equipa na W52-FC Porto e Camisola Amarela. “À terceira foi de vez! É uma vitória com sabor especial, é a recompensa de tanto trabalho e muito esforço para chegar aqui na melhor forma”, desabafou Caldeira.

3eb63 No.21448

>>21445
4 >> 2 >>> 3 = 1

6e0ae No.21449

Bom dia a todos e bem-vindos à 3ª etapa (tecnicamente é a 4ª) da Volta a Portugal. Como é que correu o vosso passeio matinal de bicicleta?

Figueira de Castelo Rodrigo - Bragança, 162,7km
Começo por volta das 15h

Mapa: http://www.volta-portugal.com/imagens/etapas/mapas/etapa3/mapaEtapa.jpg
Altimetria: http://www.volta-portugal.com/imagens/etapas/mapas/etapa3/altimetria.jpg

Antevisão da etapa: http://www.volta-portugal.com/imagens/etapas/mapas/etapa3/Video_Etapa.mp4

1b693 No.21455

File: 1502130422745.jpg (67.33 KB, 701x374, Armee.jpg) ImgOps Exif Google

O francês Bryan Alaphilippe (Armée de Terre) venceu hoje ao sprint a terceira etapa da Volta a Portugal Santander Totta, uma tirada de 162,7 quilómetros, entre Figueira de Castelo Rodrigo e Bragança. O espanhol Raúl Alarcón segue no comando da geral individual e vai com a camisola amarela no corpo para a etapa de terça-feira, 152,7 quilómetros, entre Macedo de Cavaleiros e a Senhora da Graça, em Mondim de Basto.

A viagem desta segunda-feira foi animada por diversas tentativas de fuga, mas nenhuma resultou e acabou por decidir-se ao sprint. A Armée de Terre assumiu as despesas de lançamento do sprint, mas um ataque de João Benta (RP-Boavista), nas últimas centenas de metros, teve resposta imediata de Raúl Alarcón, desorganizando a luta entre velocistas.

Bryan Alaphilippe não perdeu a compostura, conseguiu responder a estas movimentações e deu brilho ao trabalho dos camaradas da Armée de Terre, triunfando inequivocamente em terras brigantinas. O segundo classificado foi o campeão nacional da Letónia, Krists Neilands (Israel Cycling Academy). O melhor português foi Daniel Mestre (Efapel), na terceira posição.

Raúl Alarcón continua a mostrar-se forte, terminou a tirada no nono lugar e mantém-se no topo da geral individual.

A etapa desta terça-feira vai levar o pelotão de Macedo de Cavaleiros até ao alto da Senhora da Graça. A meta coincide com uma contagem de montanha de primeira categoria, mas o itinerário inclui mais duas subidas pontuáveis para a classificação da montanha, a subida do Pópulo (3.ª categoria, ao quilómetro 64,3) e a escalada do Velão (2.ª categoris, quilómetro 114,3).

As equipas que pretendem desalojar Raúl Alarcón do comando têm a obrigação de atacar nesta quarta etapa, mas o poderio exibido pela W52-FC Porto nos primeiros dias pode deixar os rivais na dúvida sobre a capacidade para dar a volta à classificação.

6e0ae No.21456

>>21455
Boa cena estes resumos, continua.
Amanhã vai ser interessante, vou passar pela Senhora da Graça. Mais algum anon por lá?

6e0ae No.21458

4ª etapa da Volta

Macedo de Cavaleiros - Mondim de Basto, 152.7 km
Hoje temos a famosa subida à Senhora da Graça.


Mapa: http://www.volta-portugal.com/imagens/etapas/mapas/etapa4/mapaEtapa.jpg
Altimetria: http://www.volta-portugal.com/imagens/etapas/mapas/etapa4/altimetria.jpg

Antevisão da etapa: http://www.volta-portugal.com/imagens/etapas/mapas/etapa4/Video_Etapa.mp4

1b693 No.21460

File: 1502215423274.jpg (122.39 KB, 960x673, Raul.jpg) ImgOps Exif Google

Santas tardes, e como prometido cá estamos para o resumo da 4ª Etapa da Volta a Portugal 2017.

O espanhol Raúl Alarcón (W52-FC Porto) reforçou o comando na Volta a Portugal Santander Totta, depois da demonstração de força que hoje lhe garantiu o triunfo na quarta etapa, com final no alto da Senhora da Graça, Mondim de Basto.

A vitória do camisola amarela começou a desenhar-se a 1,5 quilómetros do final da ligação de 152,7 quilómetros, entre Macedo de Cavaleiros e a Senhora da Graça. Depois de a W52-FC Porto ter imposto o ritmo durante toda a subida ao Monte Farinha, Amaro Antunes e Raúl Alarcón atacaram em dupla, a quilómetro e meio do final.

Amaro Antunes levou o camisola amarela na roda, com Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira) a juntar-se ao duo portista. A superioridade da W52-FC Porto foi total. Raúl Alarcón disparou quando entendeu mais adequado, nas últimas centenas de metros. O valenciano cortou a meta em solitário, reforçando a tonalidade amarela da liderança. Amaro Antunes, após o trabalho em prol do colega, ainda conseguiu ser segundo, relegando Rinaldo Nocentini para o terceiro lugar, ambos a 3 segundos do vencedor. João Benta (RP-Boavista) e Vicente Garcá de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), a 4 segundos do primeiro, resistiram.

A quarta etapa confirmou o poderio coletivo da W52-FC Porto e a capacidade acima da concorrência de Raúl Alarcón e de Amaro Antunes. Mas mostrou também a fragilidade de alguns candidatos. Gustavo César Veloso (W52-FC Porto) e Alejandro Marque (Sporting-Tavira) cederam 19 segundos para Alarcón, Sérgio Paulinho (Efapel) perdeu 1m09s e Rui Sousa (RP-Boavista) cortou a meta 2m19s depois do vencedor do dia.

Raúl Alarcón segue, portanto, no topo da classificação geral. Rinaldo Nocentini é o segundo classificado, a 25 segundos. Amaro Antunes está no terceiro posto, a 29 segundos.

Se as figuras principais só se mostraram no final, a história da tirada começou a ser escrita com 15 quilómetros percorridos, altura em que saíram do pelotão oito corredores, que passaram a nove com a chegada de Filipe Cardoso (RP-Boavista) à dianteira, na aproximação à subida do Velão.

Luís Gomes e Filipe Cardoso (RP-Boavista), João Matias (LA Alumínios-Metalusa Blackjack), Hélder Ferreira (Louletano-Hospital de Loulé), Hamish Schreurs (Israel Cycling Academy), Davide Pacchardo (GM Europa Ovini), Beñat Txoperena e Gatzon Udondo (Euskadi Basque Country-Murias) passaram na frente no Velão, com João Matias a reforçar o comando da classificação dos trepadores. Os fugitivos iniciaram com mais de 2 minutos a descida que haveria de levar a caravana a Mondim de Basto e à base do Monte Farinha.

Já em Mondim, Filipe Cardoso mexeu com a corrida e isolou-se, levando com ele apenas Beñat Txoperena. Os dois entraram na subida final adiantados, mas, tal como os restantes fugitivos, não resistiram à marcha do pelotão rumo à decisão da corrida. Hélder Ferreira seria mesmo o último a ser alcançado, a menos de 2 quilómetros da meta.

Além da geral individual, Raúl Alarcón está na frente da classificação por pontos. João Matias reforçou o estatuto de rei dos trepadores e o campeão da Letónia de fundo, Krists Neilands (Israel Cycling Academy), é o melhor jovem. A W52-FC Porto controla a classificação por equipas.

Amanhã há nova chegada em alto, embora de terceira categoria, no final da quinta etapa, 179,6 quilómetros entre Boticas e Santa Luzia, Viana do Castelo.

Voltamos amanhã para o resumo da 5ª Etapa que irá ligar Boticas a Viana do Castelo.

[…]

6e0ae No.21463

>>21460
Caputa de resumo, é isso mesmo. Boa etapa, agora está Porto-Sporting-Porto-Sporting. Vamos lá ver como é que isto acaba.

823d2 No.21465

>>21463
>porto
>sporting

É só o nome mano, até mete vergonha.
A W52 vai ganhar a volta facilmente.

6e0ae No.21466

>>21465
Deixa lá, assim atrais mais pessoal.

1b693 No.21480

File: 1502312022117.jpg (127.58 KB, 960x640, W52FCPorto.jpg) ImgOps Exif Google

Boticas - Viana do Castelo (Stª Luzia) - 179,6 km

Nos últimos 200 metros, a subir, o sprint inatacável de Gustavo Veloso (W52-FC Porto) garantiu-lhe a vitória no Monte de Santa Luzia, em Viana do Castelo, palco do final da quinta etapa da 79ª Volta a Portugal Santander Totta.
O companheiro de equipa e Camisola Amarela, Raúl Alarcón, na nona posição foi cronometrado com o mesmo tempo e manteve a liderança pelo quinto dia consecutivo com os mesmos 25 e 29 segundos de vantagem sobre Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira) e o também portista Amaro Antunes, respetivamente.

1b693 No.21554

File: 1502386057855.jpg (77.51 KB, 500x315, bardamissa.jpg) ImgOps Exif Google

Olá a todos, e blá blá blá!

O veterano Rui Sousa (RP-Boavista) ganhou hoje a sexta etapa da Volta a Portugal Santander Totta, uma ligação de 182,7 quilómetros, entre Braga e Fafe, que deixou clara a superioridade da W52-FC Porto, que mantém Raúl Alarcón no comando da geral.

Com força para dar e vender, a W52-FC Porto dinamitou a etapa desde o início, promovendo sucessivos ataques. De uma dessas ofensivas nasceu a fuga do dia, com 16 elementos, entre os quais António Carvalho e Ricardo Mestre (W52-FC Porto), Filipe Cardoso e Rui Sousa (RP-Boavista), Bruno Silva (Efapel), Guillaume Almeida (LA Alumínios-Metalusa BlackJack), Nuno Almeida (Louletano-Hospital de Loulé) ou Jesús Ezquerra (Sporting-Tavira).

A fuga, cuja vantagem se aproximou dos 5 minutos, obrigou o Sporting-Tavira, o Louletano-Hospital de Loulé e a Efapel a controlarem o pelotão, empregando nessa tarefa energia que tanta falta viria a fazer na fase final da tirada para atacar a camisola amarela. Foi, aliás, a W52-FC Porto que endureceu o ritmo na subida do Viso, uma das mais difíceis da Volta, apesar de ter Carvalho e Mestre na dianteira. Com a aceleração, o pelotão principal ficou reduzido a pouco mais de dez unidades, menos do que os homens em fuga.

Com o grupo dos fugitivos já muito curto e com todos os adversários presos por arames, foi o próprio Raúl Alarcón, de amarelo no corpo, a atacar e a pedalar decidido rumo aos homens que resistiam em cabeça de corrida, entre os quais António Carvalho e Ricardo Mestre, incombustíveis, apesar de terem assumido as despesas da fuga desde o início. Tantas munições lançadas pela W52-FC Porto tiveram um efeito colateral: ficou a nu a fragilidade de Gustavo César Veloso, obrigando os restantes homens da W52-FC Porto a tornarem-se menos belicosos, reduzindo a velocidade para reagrupar o grupo dos candidatos, no qual não constavam Alejandro Marque (Sporting-Tavira) e Sérgio Paulinho (Efapel), "descarregados" na subida do Viso. O português, apesar do desgaste da perseguição, ainda reentrou. Mas o galego disse adeus à candidatura à camisola amarela.

Rui Sousa, que vinha da fuga inicial, isolou-se na subida em terra batida da Pedra Sentada, a pouco menos de 20 quilómetros do fim. O quarteto da W52-FC Porto que comandava o grupo principal não reagiu, e Rui Sousa foi galgando terreno rumo à vitória na etapa. O vianense cortou a meta 4 segundos antes do grupo dos favoritos. Neste grupo estiveram melhor Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) e Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira), segundo e terceiro na etapa, que bonificaram para encurtar a diferença para Raúl Alarcón.

A demonstração de força da W52-FC Porto fez Alejandro Marque perder 1m22s na meta, mas não conseguiu travar a aproximação dos outros grandes rivais. Rinaldo Nocentini mantém o segundo posto na geral, estando agora a 24 segundos, de Raúl Alarcón. Vicente García de Mateos continua a subir. É quarto classificado, a 34 segundos. Após mais um dia de muito trabalho, Amaro Antunes (W52-FC Porto) segurou o terceiro posto, a 30 segundos.

O poderio da W52-FC Porto, que tem quatro homens nos sete primeiros da geral, está também plasmado na tabela coletiva, que os portistas encimam com 4m33s de vantagem sobre a Efapel. Vicente García de Mateos passou a ser dono da camisola dos pontos, João Matias (LA Alumínios-Metalusa BlackJack) sofreu, mas manteve o comando na classificação da montanha. O campeão da Letónia, Krists Neilands (Israel Cycling Academy), não aguentou a pedalada dos melhores, mas segurou a primeira posições entre os jovens.

Amanhã é dia de descanso, antecedendo a sétima etapa, marcada para sábado. Será mais uma chegada em alto, na Nossa Senhora da Assunção, Santo Tirso, depois de percorridos 161,9 quilómetros, desde Lousada.

Aqueles cordiais cumps ciclísticos e até Sábado.

6e0ae No.21559

>>21554
Isto só em Portugal mesmo, onde é que uma equipa tem 4 corredores nos 7 primeiros? De qualquer maneira, queriam todos ganhar que acabou por não ganhar nenhum. Com isto, Nocentini vai ganhando uns segundos e pode vir a ser uma dor de cabeça agora que vai ter toda a equipa a trabalhar para ele. Boa vitória do Rui Sousa para acabar a carreira e etapa interessante em geral. Aquele ataque do Alarcon a 50km foi meio estranho, mas pronto. Sábado à mais. Até lá, não se esquecam de pedalar.

1b693 No.21614

File: 1502557481043.jpg (83.09 KB, 960x590, Barbio.jpg) ImgOps Exif Google

Santas tardes e aqueles cumps.

O português António Barbio (Efapel) ganhou hoje a sétima etapa da Volta a Portugal Santander Totta, completando em solitário os 161,9 quilómetros que ligaram Lousada à Nossa Senhora da Assunção, Santo Tirso. O espanhol Raúl Alarcón (W52-FC Porto) conservou o comando da geral individual.

António Barbio foi um dos 14 corredores que escapou ao pelotão com 7 quilómetros percorridos. O pelotão consentiu que a fuga ganhasse vantagem suficiente para discutir a etapa, mas o grupo de escapados desentendeu-se.

A cerca de 20 quilómetros do final, António Barbio cansou-se do jogo do gato e do rato entre os fugitivos e partiu em solitário para não mais ser alcançado. Os restantes fugitivos foram absorvidos.

O dia foi de relativo descanso para os candidatos ao pódio, que guardaram energias para as últimas centenas de metros. Foi aí que se moveram. Gustavo César Veloso (W52-FC Porto) voltou a mostrar que quer aproximar-se da liderança do colega de equipa Raúl Alarcón, conseguindo o segundo lugar e os respetivos 6 segundos de bonificação. O terceiro foi Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), que aproveitou para conquistar 4 segundos de bonificação. Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira) e Raú Alarcón cortaram a meta na roda de Veloso e de García de Mateos, a 1m07s do vencedor do dia.

Na geral, Raúl Alarcón segue na dianteira. Rinaldo Nocentini está a 24 segundos. O terceiro, a 30 segundos, passou a ser Vicente García de Mateos. Gustavo César Veloso está em quarto, a 33 segundos, e Amaro Antunes (W52-FC Porto) baixou ao quinto posto, a 34. São estes os cinco homens com sérias aspirações à camisola amarela.

Nas restantes classificações também se mantêm as lideranças, a W52-FC Porto na tabela por equipas, Vicente García de Mateos nos pontos, João Matias (LA Alumínios-Metalusa BlakcJack), um dos fugitivos do dia, na montanha, e Krists Neilands (Israel Cycling Academy) na juventude.

A oitava e penúltima etapa da prova corre-se neste domingo, ligando Gondomar a Oliveira de Azeméis, ao longo de 159,8 quilómetros. A reta da meta, na tradicional rampa oliveirense, poderá provocar alguns "cortes" entre os primeiros. Mas prevê-se que a tirada seja, sobretudo, animada por aqueles que pretendem disputar a classificação da montanha, uma vez que a viagem contempla três subidas pontuáveis.

Disfrutem amanhã de mais uma etapa, e bons passeios de bicicleta!

6e0ae No.21620

>quando vais para a Efapel só para sentir o que é vestir uma camisola amarela

1b693 No.21622

File: 1502643187164.jpg (124.28 KB, 960x640, asdf.jpg) ImgOps Exif Google

Santo Domingo e fazemos sinceros votos que tenham disfrutado do passeio de bicicleta matinal e de mais uma etapa da Volta a Portugal.

O espanhol Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) ganhou hoje a oitava etapa da Volta a Portugal Santander Totta, sendo o mais rápido no sprint que decidiu os 159,8 quilómetros, entre Gondomar e Oliveira de Azeméis. Raúl Alarcón (W52-FC Porto) mantém a camisola amarela.

Vicente García de Mateos mostrou estar em crescendo de forma à medida que a Volta se aproxima do fim e triunfou com autoridade. Relegou Daniel Mestre (Efapel) para o segundo lugar e Marco Tizza (GM Europa Ovini) para o terceiro posto.

Mais importante do que a vitória na tirada, foi a bonificação conquistada, assim como o "corte" face a Raúl Alarcón e Amaro Antunes (W52-FC Porto). A camisola amarela segue no corpo de Alarcón, mas é uma liderança cada vez mais fragilizada. Vicente García de Mateos subiu à segunda posição, estando apenas a 14 segundos do compatriota. Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira) caiu um lugar, passando a ser terceiro, mas aproximou-se da camisola amarela, da qual está apenas a 19 segundos.

Luís Afonso (LA Alumímios-Metalusa BlackJack) e Egor Silin (RP-Boavista) foram os animadores de serviço na etapa deste domingo, escapando ao pelotão ao quilómetro 19. Os dois homens chegaram a ter uma vantagem superior a 9 minutos, mas a aceleração do pelotão, na luta pela classificação da montanha, aquando da escalada de segunda categoria em Gamarão, fez a diferença começar a cair. O esforço da Efapel, procurando que a etapa fosse discutida em pelotão, também contribuiu para que os fugitivos não tivessem a vida facilitada.

A iniciativa de Afonso e Silin acabou a 24 quilómetros da meta, numa altura em que o pelotão, comandado pela Efapel, já era bastante reduzido.

A 22 quilómetros do final, agitaram-se as hostes, a discussão das bonificações da última meta volante da jornada. Raúl Alarcón lançou o sprint intermédio para que Gustavo Veloso (W52-FC Porto) fosse buscar os 3 segundos do primeiro lugar. Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) ficou com 2 segundos e Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira) conseguiu o segundo restante. García de Mateos procurou levar a iniciativa mais longe, mas Gustavo César Veloso, que lhe seguia na roda, recusou prestar colaboração, matando essa movimentação. Outras se seguiriam, mas não resultaram. Foi, pois, em pelotão que se discutiram as primeiras posições da etapa.

A Volta a Portugal está na reta final, faltando apenas duas etapas para a acabar. A última, na terça-feira, é um contrarrelógio individual. A penúltima, já nesta segunda-feira, é a etapa da serra da Estrela. Apesar de não terminar na Torre, a ligação de 184,1 quilómetros entre a Lousã e a Guarda inclui a passagem pela Torre, a 70 quilómetros do fim, um prémio de montanha de quarta categoria e quatro contagens de terceira, uma coincidente com a meta.

Intés amanhãs!

6e0ae No.21623

>>21622
Bom resumo. A brincar a brincar, a Volta a Portugal até é bem boa em termos de entretenimento, claro que em termos de qualidade fica muito áquem. Etapa interessante, a última meta volante aqueceu um bocado as coisas. Amanhã cá estamos.

6e0ae No.21644

File: 1502709532889.jpg (100 KB, 917x443, altimetria.jpg) ImgOps Exif Google

Bem-vindos à última etapa em linha da 79ª Volta a Portugal.

>Lousã - Guarda, 184.1km


Após a vitória de De Mateos, as contas para a camisola amarela ainda não ficaram decididas e podemos contar com tentativas de ataque por parte de De Mateos e Nocentini, que se encontram a 14 e a 19 segundos respetivamente. Também Gustavo Veloso poderá tentar roubar a camisola ao colega.
Hoje temos o único prémio de montanha de categoria especial, no Alto da Torre.

Mapa: http://volta-portugal.com/imagens/etapas/mapas/etapa9/mapaEtapa.jpg

4e70f No.21647

>>21644
Hoje espero uma etapa interessante.

O Nocentini impressionou-me pela vontade de lutar contra a armada da W52 mesmo sem equipa nenhuma, hoje vai ter de dar tudo. Pelo menos devemos ter algum espetáculo.

6e0ae No.21648

>>21647
É verdade, muitas vezes nem sei onde é que o gajo está e ele mantém-se sempre na roda do Alarcon. Acho que se conseguisse ganhar, era merecido.

6e0ae No.21650

Que merda. A Efapel amuou porque ontem ninguém os ajudou e ficaram em 2º. Os outros estão ali a passear. O Sporting e o Loulé não têm ninguém e tem de ser o Nocentini e o De Mateos a puxar, ao menos que ataquem.

1b693 No.21655

File: 1502731911452.jpg (115.22 KB, 960x640, boa_equipa.jpg) ImgOps Exif Google

Cumps,

A W52-FC Porto sentenciou hoje a 79.ª Volta a Portugal Santander Totta, deixando apenas Raúl Alarcón, camisola amarela, e Amaro Antunes, segundo classificado na geral e vencedor da tirada desta segunda-feira, em condições de vencer a competição.

A tirada de 184,1 quilómetros, entre a Lousã e a Guarda, tinha passagem pela serra da Estrela e foi aí que a W52-FC Porto destruiu o pelotão, mesmo tendo como dano colateral o atraso irreversível daquele que a equipa fez crer, até hoje, que seria o chefe-de-fila, Gustavo César Veloso.

Logo no início da viagem a equipa portista disse ao que vinha, colocando Rui Vinhas, Joaquim Silva e Ricardo Mestre no numeroso grupo de fugitivos. Era um trio capaz de ajudar os colegas de equipa que viessem a atacar na fase decisiva. E quem o fez foram os dois corredores mais consistentes da formação desde a primeira etapa, Amaro Antunes e Rául Alarcón.

Os dois chefes-de-fila de facto da W52-FC Porto avançaram até à cabeça de corrida durante a escalada de Seia para a Torre. Dos fugitivos iniciais apenas Ricardo Mestre e Krists Neilands (Israel Cycling Academy) aguentaram a pedalada. O quarteto coroou o ponto mais alto da Volta com cerca de 1m20s de vantagem sobre os perseguidores, entre os quais se contavam Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé) e Rinaldo Nocentini (Sporting-Tavira).

O grupo perseguidor engordou na descida, com corredores da RP-Boavista e da Efapel, mas estas duas equipas nunca colaboraram na perseguição aos homens da W52-FC Porto, deixando esse trabalho exclusivamente às costas dos sportinguistas e dos louletanos. O resultado foi um crescimento exponencial da vantagem do quarteto adiantado.

Com a Volta já sentenciada, Raúl Alarcón e Amaro Antunes ficaram sozinhos em cabeça de corrida. Na reta da meta, o espanhol apontou para o algarvio, agradecendo-lhe todo o trabalho e outorgando-lhe a vitória de etapa. Alarcón ficou-se pelo segundo lugar. Krists Neilands foi o terceiro, a 1m28s. Muito mais tarde chegariam os anteriores candidatos à camisola amarela. Vicente García de Mateos foi o terceiro, a 4m41s e Rinaldo Nocentini o quarto, a 4m44s.
Raúl Alarcón é o incontestável camisola amarela, mas ainda não tem a Volta ganha, uma vez que Amaro Antunes está no segundo posto, apenas a 31 segundos. É entre os dois que a corrida se decidirá, nesta terça-feira, na última etapa, um contrarrelógio individual de 20,3 quilómetros a disputar em Viseu. Vicente García de Mateos, terceiro, a 5m04s, e Rinaldo Nocentini, quarto, a 5m12s, vão discutir a única vaga em aberto no pódio.

A superioridade da W52-FC Porto é absoluta. Além dos dois primeiros da geral ainda conta com António Carvalho na oitava posição, comanda por equipas com mais de 19 minutos de vantagem sobre o segundo coletivo, tem Raúl Alarcón na frente por pontos e Amaro Antunes como rei da montanha. Só sobrou a classificação da juventude, para a qual os portistas não contavam com qualquer corredor, e que é comandada por Krists Neilands.

Não percam amanhã a grande final!

1b693 No.21697

File: 1502817899464.jpg (51.89 KB, 701x374, Alarcon.jpg) ImgOps Exif Google

Cordiais cumps.

E (quase) tudo a W52-FC Porto levou!

O furacão W52-FC Porto passeou a sua força demolidora pela 79.ª Volta a Portugal Santander Totta, reduzindo a escombros a possibilidade de os adversários lutarem pelos louros da glória.

A equipa chefiada por Nuno Ribeiro ganhou a Volta com Raúl Alarcón, fez segundo com Amaro Antunes, a 1m23s, e venceu seis das onze etapas, a última das quais o contrarrelógio final de 20,3 quilómetros, hoje disputado em Viseu, por intermédio de Gustavo César Veloso., mais rápido 15 segundos do que Alarcón e 18 segundos mais veloz do que Alejandro Marque (Sporting-Tavira).

Os portistas ainda colocaram mais um homem no top 6 final, António Carvalho, na sexta posição, conquistaram a classificação por pontos, através de Raúl Alarcón, coroaram Amaro Antunes rei da montanha e venceram por equipas, com mais de 20 minutos de vantagem sobre a segunda melhor formação, a RP-Boavista.

Para os rivais ficou o terceiro lugar na geral final, ocupado por Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), a 5m25s do vencedor, e a classificação da juventude, vencida pelo campeão da Letónia, Krists Neilands (Israel Cycling Academy).

A RP-Boavista, a Efapel e o Louletano-Hospital e Loulé conquistaram uma vitória de etapa cada. A Armée de Terre foi a única formação estrangeira a ganhar e fê-lo em duas ocasiões.

Fazemos sinceros votos que tenham gostado tanto quanto nós e até uma próxima oportunidade, numa cidade, vila ou aldeia bem perto de vós!

135bc No.21719

Bons resumos amigo



[Return][Go to top] [Catalog] [Post a Reply]
Delete Post [ ]
[ * ] [ c / des / n / t / u ] [ int / luso ] [ b / con / pol / xxx ] [ meta ] [ doar / info / regras / notícias / https / git ]