[ * ] [ c / des / n / t / u ] [ int / luso ] [ b / con / pol / xxx ] [ meta ] [ info / regras / notícias / https / git ]

Catálogo (/con/)

Sort by: Image size:
R: 8 / I: 1
Tive ontem a conversa final com a minha ex, primeira fofinha com quem tive o meu primeiro relacionamento sério em quase 7 anos, e apesar de ter dito tudo o que tinha para dizer (nada agressivo, só queria que ela soubesse que depois de pensar percebi os erros que cometi) e termos acabado em bem não consigo deixar de estar triste. Eu sei que agora é seguir em frente que eventualmente isto passa mas por agora dói.
R: 20 / I: 3
>ser eu
>sugerir o segundo date ser sair à noite para o Bairro Alto ou a Baixa e irmos a um bar para nos divertirmos
>ela aceita
>mcq não conheço nenhum sítio no Bairro Alto ou na Baixa porque não sou de cá

E agora anões? Alguém me dá uma sugestão de um sítio agradável onde se possa beber e dançar?
R: 36 / I: 2
Acabei uma relação de 5 anos, com a mulher que amo mais do que tudo.

Digam-me literalmente um bom motivo para não me suicidar.
R: 5 / I: 0
Algum médico ou entendido que me consiga recomendar algo para melhorar os meus habitos de sono?

Tenho insónias recorrentemente e hoje faz 5 dias que ou durmo menos de 2 horas por noite ou não durmo de todo. Tenho tomado melatonina nas noites em que "sinto" que não vou conseguir dormir mas sem efeito. Como não me posso enbebedar todas as noites e não queria estar a recorrer a benzodiazepinas a longo prazo, gostava de saber o que posso tomar/fazer sem que comprometa muito o organismo a longo prazo.

PS: Sim, tenho consulta marcada mas até lá gostava de dormir uma boa noite de sono.
R: 8 / I: 0
Acham cringe um gajo tentar online dating?
R: 5 / I: 0
Manos, quero jogar ao jogo da rejeição. Quero ser rejeitado 100x. Ajudem-me a delinear quando é uma rejeição. Quando uma mulher aceita sair e sugere trazer amigos, isso conta como rejeição?
R: 2 / I: 1
>eu, 23
>uso o Google images para me masturbar
Inb4 o op é retardado. Uso o telemóvel e é me mais prático que andar a arriscar virus com porn sites.
>procuro por 'teen'e variantes, mas sempre subentendido que é legal. Eg: legal teen, teen lesbian, hot…
>por duas situações estou preocupado:
1. Num dia ao fazer scroll apareceu uma mensagem a dizer que a Google removeu imagens por haver conteúdo ilegal.
2. Hoje, apareceu me o que me foi notável, uma menor nua nas imagens. Cliquei para ter a certeza e Naturalmente ignorei.
>nem me passou pela cabeça dar report porque só queria estar o mais longe daquela merda.
>acabado de me masturbar com imagens legais sou inundado por preocupação
Achas que vou ter repercussões legais? Sei que a google grava tudo.
Fodasse eu nunca pensei nesta situação. Estou-me a odiar tanto.
R: 35 / I: 2
Sou virgem, como o deixar de ser? Nada de prostituições, pretendo algo assim do genero
>estar no comboio e menina doce olhar para mim
como tornar esta situação normal em uma sexual, isto é, o que dizer o que fazer para deixar de ser virginio?
R: 2 / I: 0

fuck.

Decidi criar este post porque ultimamente tenho sentido que algo de muito errado se passa comigo. Sendo isto um problema pessoal gostava que me ajudassem porque tem afectado a minha auto-estima e tenho me sentido pior.

25 anos em cima, ultima relação acabou o ano passado na ultima semana do mês de Dezembro. Foi uma relação incrível e admito que aquela rapariga ainda me vai fazer pensar nela durante uns tempos. Depois de termos acabado já tive com raparigas e não sei porque, no momento de termos relações sexuais, fico automaticamente nervoso, algo que nunca me aconteceu na vida até ter terminado a relação com a minha ultima namorada, começo a ficar com o pensamento muito acelerado, não consigo "relaxar" nem ficar literalmente excitado, mentalmente sinto-me alterado.

Recentemente aconteceu-me isto, daí ter tido a iniciativa de escrever aqui, pois é um sítio que costumo visitar no meu dia-a-dia. Ela, já mulher feita, ex-colega de trabalho, 7 anos de diferença de mim, entre alguns copos acabámos por ir sair os dois, ela convidou-me para dormir em casa dela e assim fomos, admito que sempre a admirei, por ser sensual como bastante gira e interessante, acho que sempre houve uma paixoneta no fim de contas

Entre "preliminares" consegui ficar excitado mas aconteceu novamente o que mencionei acima, nervosismo, pensamento acelerado como se houvesse sempre o meu eu interior a questionar "e se falhar? e se não conseguir ter "tesão""?. Acabei por não conseguir manter a ereção e não consegui dar prazer nenhum. Sinto-me envergonhado, com vergonha de contar isto a alguém sendo que já aconteceu mais do que uma vez.

Espero que me consigam ajudar..
R: 21 / I: 7

/sents/

Sentem-se, peguem numa bebida e falem.

Como anda a vossa vida? Problemas com a fofinha? Stresses no trabalho? Solidão? Sentem-se perdidos e sem rumo?
Estamos aqui uns para os outros.
R: 6 / I: 1
Onde é que traçam a linha entre fazerem o melhor para vocês e serem altruístas? Vou exemplificar com um exemplo, que me deixou com algum arrependimento.

Um pouco de história de fundo. Sempre vivi bem, e a minha família sempre me incutiu o gosto de viajar. Dito isto, costumo visitar pelo menos um país diferente por ano e por isso já conheço muito mundo.
Não vou entrar em pormenores, mas há uns tempos surgiu-me um programa que me permite viajar. Inscrevi-me e com o resto da malta que também o fez, tínhamos de chegar a um consenso de quem ia para onde.
Eu, pensando no melhor para mim, escolhi um país distante e que nunca tinha visitado e consegui ficar com isto. Com isto, tive de deixar países como Espanha para pessoas que nunca tinham saído do país.
Soube ainda mais tarde que a minha viajem foi expandida e que vou passar noutro país, também ele longe daqui.

O que me prende nisto é, devia ter pensado nos outros e "sacrificar-me", indo para um país perto e que já conhecia, ou devia cagar nos outros e focar-me em mim?
R: 31 / I: 2

Depressão

Já só penso em me matar. Que fazer?
R: 3 / I: 0
Boas anões,

Tanto eu quanto a minha amante estamos a trair os nossos parceiros há uns anos. Sempre que estou com a minha namorada sinto que estou a trair a minha amante, a minha amante também sente que está a trair-me a mim quando está com o namorado… e o mais estranho é que não sentimos que estamos a trair os nossos namorados quando estamos juntos.

Eu e a minha amante estamos juntos há 2 anos.

Já alguma vez sentiram algo parecido?
R: 1 / I: 0
Estou prestes a apagar os meus ficheiros, contas e a fazer 55 minutos de carro até a pica relatada para acabar com esta merda.

Não sei o que fazer anões, estou sem forças.
R: 18 / I: 3
Ora bem, isto vai parecer básico, mas preciso da vossa ajuda.

Tenho uma amiga recente, não somos muito próximos, conhecemos-nos através de amigos em comum.
Em pessoa falamos bastante, ela faz assunto, mostra-me mensagens que recebe, fala-me sobre a família, fala sobre o que faz…
Reparei, também que ela, sempre, literalmente sempre que estamos juntos, toca-me, normalmente no braço, ou passa por mim e bate me no peito, no outro dia acariciou-me a cara, assim do nada.
Se falarmos por mensagem, ela é super distante, quase sempre seca e nunca fala primeiro.

Ora bem, isto sou eu a imaginar merdas ou há aqui alguma coisa?
Eu vou ser sincero, podia tentar mais, mas tenho outras opções e sei que ela é daquelas que tem montes de seguidores e isso corta-me um bocado a moca.
O que também complica é que é raro, ficarmos sozinhos.
R: 34 / I: 0

Quantas?

Quantas vezes afogam o ganso com as vossas moças?
Ao início era todos os dias, mais de uma vez por dia… Agora, meia década depois é 1 vez por semana ou de semana e meia em semana e meia e acho que só de 2 em 2 meses é que tenho uma experiência que seja realmente boa…

Preciso da vossa ajuda.
Obs.: vivemos juntos, portanto não é fácil ver porno para me aliviar.
R: 18 / I: 1
Estou a pensar em desistir do secundário. Já tenho 20 anos, não consigo passar do 12º, não tenho amigos e sem motivação para ir às aulas.

O que faço? Segurem-me…
R: 14 / I: 2
Boas, chan.

Estou numa relação estável há cerca de dois anos, mas há algo que me tem tirado o sono.
O meu namorado já tinha referido, por algumas vezes, que tinha curiosidade em experimentar uma relação aberta/poliamorosa. Foi algo que discutimos numa fase inicial do nosso namoro e que ficou assente que não me deixava confortável. Da parte dele, disse que estava feliz só comigo e que era só uma ideia que o excitava. Mais recentemente, e como a nossa relação já não é um mar de rosas como era há um ano e meio atrás, disse-me que contava demasiado comigo, que somos demasiado dependentes um do outro e que eu - uma pessoa só - não consigo satisfazer todas as suas necessidades. E, mais uma vez, surgiu a conversa de abrir a relação.
Sou uma pessoa um bocado insegura e ele é o meu primeiro namorado e o meu primeiro envolvimento sexual. O pensamento de ele estar com outras pessoas e gostar delas como gosta de mim dói bastante.

Não é uma questão de confiança, porque por ele ponho as mãos no fogo e sei que enquanto eu disser não, nada acontece. Mas pensar que estou a privá-lo de algo que ele quer fazer e que numa relação monogâmica será sempre um bocado mais acorrentado do que gostaria… faz-me pensar se realmente vale a pena seguir em frente.

Tenho uma visão talvez demasiado romantizada das relações e isso também não ajuda. Na teoria, sei que é possível amar duas pessoas ou estar envolvido sexualmente com uma e não perder os sentimentos de amor e afeição pela outra. Na prática, sinto que não sou assim tão especial e que posso facilmente ser substituída; que nunca vou ser suficiente para ele e que só estou a adiar o inevitável.

Ele é uma pessoa muito segura de si e não teria qualquer problema se eu estivesse com alguém para além dele. Não costuma demonstrar ciúmes, ao contrário de mim, que fico doente quando ele mostra interesse por alguém. No fundo, só queria arranjar forma de me desapegar e conseguir ser tão indiferente a este assunto como ele é.

O que é que acham disto, /con/?
R: 5 / I: 0

Cosido à Mão

Alguém sabe encontrar programas portugueses online? A minha namorada não é tuga e queria ver o Cosido à Mão.

(O site oficial da RTP não dá porque já passaram alguns episódios, e precisava dum proxy mas o proxy é o menor dos problemas.)
R: 13 / I: 0
>estou sozinho outra vez

sempre estive habituado á solidão e convenci-me de que até eras feliz assim, acontece que por algum tempo provei de uma companhia que me enchia o coração e agora não consigo mais lidar com a solidão, ou pelo menos não tão bem como antigamente, porque percebi que sou tão mais feliz quando tenho alguém especial… ajudem-me /con/

>inb4: arranja outra companhia que preencha o vazio que a anterior deixou
R: 12 / I: 0

Como durar mais tempo?

Boas anons,

Para aqueles que já tiveram relações sexuais alguém tem truques para que a 1º ejaculação não seja rápida? Já fudi a minha fofinha 3-4 vezes só que o problema está na primeira ejaculação que é cedo demais. Tive casos que era instantânea logo que entrava ou passado 2-3 mins, na segunda dura o tempo que quiser mas é aquela sensação chata de ter que trocar o preservativo e a piça ficar mole por algum tempo (para além que a gaja fica um pouco sem pica mesmo dizendo que é perfeitamente natural de estar nervoso blablabla).
Já pensei que tivesse ejeculação precoce, ainda estou para ir ao médico. Só queria alguns conselhos porque até pode ser que isto se resolva em casa (já estive a ver aquelas "terapias de sexo" mas duvido que resulte pois tentei uma meia dúzia de vezes e não senti efeito). Não experimentei o tal dos preliminares que até pode resolver temporariamente ou também pode ser com a prática consiga aguentar mais.
R: 10 / I: 0

ToU fOdIdO

Boas pessoal,
Preciso da vossa ajuda, isto é algo sério…
Bem, na terça feira uma gaja tipo defeciente, vá não vou dizer defeciente, mas…é uma pessoa que não consegue mesmo raciocinar muito bem…ela ainda anda na escola, tem 18 anos e tem necessidades educativas especiais por assim dizer…
E ela na terça-feira(dia 7/03) começou a falar comigo… e desde então começou a falar comigo todos todos os dias…e ela é chata… e já estou a ficar farto de ser obrigado a responder às mensagens, mas ela gosta de mim e ja me chamou "meu principe" e coisas do genero…ja lhe disse que nos nao somos mais do que amigos… ela perguntou-me se eu tinha namorada eu disse que nao mas que também nao estava interessada nela, mas ela continua a falar comigo e eu sinceramente já estou meio que farto de falar com ela e quero deixar de falar com ela sem que ela se sinta ignorada, rejeitada, pronto, nao quero que ela se sinta mal…se eu deixar de responder ela chateia-me mais ainda a dizer que eu nao quero saber dela para nada, se responder ela nao se cala, ja pensei em bloquear mas isso pode-lhe deixar triste saber que nao pode responder mais à conversa…
quero arranjar uma maneira de acabar com isto sem que ela se sinta mal e triste e não ter de recorrer ao block no facebook…ajudem aí anons!
R: 24 / I: 0
Danoníssimos:

Longa distância. É possível? Sobreviventes acusem-se
R: 12 / I: 0
Sugestões para actividades / sítios para visitar em Lisboa com a gf?
R: 53 / I: 4

guia para arranjar fofinha

Olá danones, crio este fio para os dux do chã ajudarem os virgínios a arranjar fofinhas.

>ser eu

>18, na universidade
>únicos interesses são política, música e cinema
>única gf que tive foi aos 12 e mesmo assim só nos comíamos com roupa e aos apalpões
>nunca tive outra fofinha desde então porque fiquei meio adverso aos relacionamentos (acabou mal o outro)

É assim, sendo eu um gajo, francamente, mediano, como arranjo mais fofinha? Não sou feio, mas também não sou uma brasa. Não sou obeso, mas também não estou fit. Tenho medo que após arranjar fofinha ela se aperceba que consegue arranjar melhor que eu e me deixe. E tenho medo de estar "abaixo" da liga dela, passo a expressão.

Como faço para arranjar fofinha sem que ela me fuja?

Os outros virgínios que deixem as suas preocupações aqui também. um bem haja.
R: 5 / I: 0

Mestrados

Estou no 4º do MI em Engenharia Biomédica mas tem se mostrado ser a maior desilusão da minha vida.
A verdade é que só há umas 3 ou 4 empresas que se podem considerar na área de Biomédica, o resto de possíveis saídas só na área de investigação. O que n me apela pois não quero passar o resto da vida a desenvolver um projeto qq hipoteco para o qual nem tenho capacidades.
>Já para n falar que n quero ser pobre

Digo isto pqe em Biomédica nós aprendemos um pouco de tudo mas acabamos por n saber nada. Mesmo em empresas de Biomédica se se precisa de alguém para o hardware arranja-se um electrotécnico, para a parte software um informático etc. Para o ano acabo o curso e nem sei o que faça. Se continue na vertente académica e faça uma graduação ou se como mtos fazem, vá para uma consultoria.
Se começasse agora do 0 não tenho duvidas que tinha ido para informática que é uma área que até me interessa muito e se ganha bem. A minha vontade até é de fazer uma licenciatura ou mestrado mas mais 3 anos a estudar ainda custam.. E nem sei se conseguia entrar num mestrado de informática assim sem as bases.
R: 6 / I: 0
Como é rejeição num ambiente em que terás que lidar com a mulher que te rejeitou com alguma regularidade?
R: 14 / I: 1

Febre Amarela

/con/ há alguma maneira de arranjar uma fofinha asiática em Portugal?
R: 3 / I: 0
Somos todos estudantes ou profissionais numa área específica.
Assim, talvez seja giro fazer uma experiência: Vamos utilizar os nossos conhecimentos e experiência para ajudar o pessoal.
Aqui podem identificar a vossa área ou pedir conselhos/opiniões.

Isto não dispensa a consulta de um profissional habilitado, a ideia é apenas dar uma ideia daquilo que possam ter ou fazer.

Todas as profissões são bem vindas.

Qualquer dúvida, deixem aí.
R: 11 / I: 0
Boas irmãos.
Há alguma forma "financeiramente amigável" de ter consultas de psicologia?
por exemplo um grupo de auto-ajuda, nem sei se aqui se faz disto mas umas 10 pessoas 1 ou 2 vezes por semana em conjunto com 1 psicólogo.
não tenho possibilidade financeira para pagar 60€ por consulta é simplesmente demasiado e preciso de outras opções, estive a ver e ao que parece as faculdades de psicologia têm um programa de ajuda em que os alunos de final de curso juntamente com um responsável fazem essas consultas de forma gratuita alguma informação sobre isto?
Gostava de ajuda a ver as minhas opções é isso, obrigado desde já
R: 2 / I: 0

PDA

Melhores sitios para PDA em Lisboa ? Para onde recomendam ir?
R: 15 / I: 1

Como Reconhecer um Relacionamento Abusivo?

pois bem malta hoje a minha namorada, agora ex, terminou comigo.
segundo ela sou demasiado possessivo e manipulador, uma breve pesquisa nas interteias levou-me a isto


Zomba ou constrange você na frente dos amigos e da família?
>já brinquei á frente da mãe dela com a condução dela (ex)

Minimiza suas conquistas ou não incentiva você a conquistar seus sonhos?
>incentivo-a sempre a ser mais e querer ser mais

Faz com que você se sinta incapaz de tomar decisões?
>nunca , e sempre que me pede ajudo-a

Usa da intimidação, culpa e ameaças para obter sua complacência?
>quando a culpa é dela sim digo-lhe que a culpa é dela de forma racional, acaba sempre por virar a espada e a culpa passa a ser minha

Diz o que você deve ou não vestir?
>sim, não gosto que ela vista certas coisas por isso digo-lhe para não, acho que ela própria devia não vestir sem eu ter de dizer algo

Fala como deve deixar ou pentear o cabelo?
>não me importo, sempre que faz algo no cabelo elogio-a

Diz que você não é nada sem ele ou que ele não é nada sem você?
>sim, eu sem ela fico de rastos "ele não é nada sem você"

Te trata de maneira grosseira sem o seu consentimento, beliscando, agarrando, empurrando ou até agredindo?
>já a insultei verbalmente, ela pediu para ser sincero e calmamente chamei-a de puta, não aumentei o tom nem nada

Faz várias ligações por noite ou aparece para garantir que você está onde disse que estaria?
>não, no entanto costumava-mos estar sempre ás mensagens, não sei se não fosse esse o caso não o faria

Usa as drogas e álcool como desculpa para dizer coisas indelicadas ou para abusar de você?
>não bebo, não fumo

Te culpa pela maneira com que age ou se sente?
>não, culpo-me a mim por sentir que a estou a manipular e/ou ser demasiado possessivo

Faz pressão para fazer sexo, mesmo que você ainda não se sinta preparado?
>nunca

Dá a sensação de que “não há como sair” do relacionamento?
>eu a ela e ela a mim.

Evita que você faça outras coisas que gosta, como ficar perto da família e de amigos?
>sim, não gosto que ela apanhe bebedeiras e passe a noite longe de mim (diria até sem a minha supervisão) numa casa privada com outros colegas de faculdade

Não deixa que saiam de um lugar após uma briga ou abandona você em algum lugar após um desentendimento, só para “ensinar uma lição”?
>nunca a obriguei a ficar se ela quiser ir embora respeito, ""abandona você em algum lugar após um desentendimento, só para “ensinar uma lição”"" admito já o fiz mais que uma vez julgo eu



"Distancie-se dele e ponto final. Isso é ainda mais válido se ao identificar as seguintes situações:"
Sentir-se assustado pela forma como parceiro vai agir ou reagir.
>sim ela disse-me que tinha medo da minha reação mais que uma vez
Sentir-se responsável pelos sentimentos do parceiro.
>check também já mo disse
Arrumar desculpas para justificar o comportamento do manipulador a outras pessoas.
>não tenho a certeza
Acreditar que tudo é sua culpa.
>yup confirma novamente
Evitar qualquer coisa que possa causar conflito ou irritar o parceiro.
>confere, razão para termos acabado (mentiu-me a relação toda para não me contar uma coisa e quando me disse saltou-me a tampa e acabamos)
Sentir que o parceiro nunca está feliz com você.
>sou a pessoa mais feliz do mundo quando estou com ela
Fazer sempre o que ele quer e nunca o que você deseja.
>disse-me isso exatamente antes de acabar comigo
Ficar com o parceiro pois tem medo do que ele pode fazer ao terminarem o relacionamento.
>confere.



Avisos
Pessoas que controlam e manipulam os outros são influenciadas por fatores externos, como pais abusivos ou transtornos mentais e clínicos. Não há como mudar ou “salvar” esse tipo de pessoa, independentemente de quanto se importar com ela. As melhores opções de ajuda são se recusar a ser vítima e direcioná-los a um local para obter ajuda profissional.
>confere, todos os fatores externos mencionados acima

Fique atento a comportamento agressivos e ameaças, inclusive aos amigos e parentes ou a cometer suicídio. Não confie em seu próprio julgamento para determinar se as ameaças são sérias; chame a polícia imediatamente. Provavelmente, é apenas uma pessoa difícil, não perigosa, mas é bom não arriscar. Se necessário, obtenha uma ordem de restrição e ligue para a polícia sempre que ela for infringida.
>sou incapaz de lhe tocar, nunca na vida. não sei se consigo dizer o mesmo de mim.

A compaixão não é um sentimento fácil de ser entendido ou aceitado por essas pessoas, o que só machucará a você ainda mais no final das contas, além de ser usado como uma arma pelo manipulador. Cortar relações com ele pode parecer algo cruel, mas isso acaba com as brigas e confrontos, forçando-os a continuar a vida ou procurar ajuda.
>confere mais uma vez, foi o que aconteceu.


Tl:Dr- sou um namorado abusivo e manipulador, quero melhorar e gostava de saber se há algo que possa fazer para alem de ajuda externa (tipo um psicólogo ou algo do género), tenho medo que isto ""Não há como mudar ou “salvar” esse tipo de pessoa"" seja verdade e quero fazer tudo para melhorar, esta semana que vem vou procurar um consultório ou gabinete em que possa ver este assunto com um profissional, acham possível deixar de se ser um namorado possessivo e/ou manipulador?
R: 1 / I: 0
Manos /con/as,

Eu e a minha ex acabamos há cerca de um ano. Estivemos juntos 3,5 anos. Passados aprox. 4 meses, ela já tinha novo namorado. Tudo isto coincidiu com a altura que acabei o curso e comecei a trabalhar. Nao me estou a safar nada mal, tenho muito trabalho, ganho bem, tenho side-projects com que me estou a ocupar, etc. No entanto, no fim do dia, sinto-me sozinho, com inveja de que tenha sido tao fácil para ela ultrapassar tudo e rapidamente resolver a vida dela. Ela nao está sequer a trabalhar, nesse campo estou bem melhor mas pq raio tenho eu inveja dela? Tenho falado com uma miuda, mas nao me parece que vá resultar no que quer que seja…só queria deixar de me sentir assim.
R: 13 / I: 3
> asq solidão
R: 3 / I: 1
pica não relacionada

Desde sempre que tive dificuldade em compreender porque é que a maior parte das pessoas fazem a maior parte das coisas que fazem.

Sempre vi as outras pessoas, desde puto, esforçarem-se por coisas frívolas como a aprovação de pessoas insignificantes, ganhar jogos e brincadeiras que deveriam ser apenas algo para passar o tempo, mostrar que têm mais que os outros nem que seja nas merdices mais insignificantes. No entanto, no que toca a coisas que têm realmente valor está quieto, não demonstram o mínimo interesse e muitas vezes repelem quem o faz, e têm inveja mas em vez de tentarem aprender alguma coisa apenas tentar denegrir essa pessoa e impôr a mediocridade a todos, para proveito de ninguém.

Depois, estes comportamentos arrastam-se até as pessoas serem adultas, talvez até para a vida toda delas, tornam-se super sensíveis a qualquer crítica e dedicam por vezes toda a sua vida e/ou carreira a conseguir a atenção dos outros.

Não me considero uma pessoa perfeita nem sou imune a inveja, ganância e etc… mas acho que a maior parte das pessoas exagera.

Tudo, mas mesmo tudo, o que fazem se resume a conseguir a consideração dos outros ou a subir na hierarquia social.

Se fosse só isto pouca diferença me faria, mas o que me irrita realmente é o ponto a onde vão para conseguirem a mais mínima e mais efémera atenção dos outros. São capazes de manipular e usar pessoas que nunca lhes fizeram mal nenhum sem o mínimo remorso, justificam tudo isto não sei bem como nas suas cabeças, são capazes de fazer os que apanham por perto miseráveis apenas porque podem, etc… e tudo isto por coisas insignificantes.

Nunca consegui compreender as motivações da maior parte das pessoas. Parecem-me sempre insignificantes, superficiais e um desperdício de tempo e talento.

Vejo os outros entusiasmados por certas situações sociais ou a competirem para se ultrapassarem em coisas insignificantes e fico indiferente face a este entusiasmo. Por vezes até posso ir numa bricadeira ou outra, ou participar num jogo ou interação, mas aborreço-me depressa.

Resumidamente o que eu quero perguntar é isto: nunca tive as mesmas motivações das outras pessoas, motivações essas que sempre me pareceram uma perda de tempo. Por isso sinto-me quase sempre aborrecido quando estou com outras pessoas, como se estivesse a perder tempo e prefiro estar sozinho. Sinto que para mim é mais produtivo e agradável passar 2 horas a olhar para as paredes sem fazer nada e a pensar na vida do que a interagir com outras pessoas. Sou o único que se sente assim?

Queria também perguntar algo sobre o qual eu tenho a pensar desde há muito tempo mas para o qual nunca encontrei resposta: o que corre mal na vida de alguém que desde tenra idade começa a 1) rebaixar e a usar os outros sem sentir qualquer remorso, apenas porque pode e mesmo sem esses outros lhe terem feito mal nenhum e 2) ter um certo desespero pela atenção, por mais mínima que seja, dos outros e 3) perder a sua identidade própria e passar quase, senão mesmo, exclusivamente a tentar ser igual aos outros.


>inb4 tiveram uma infância e pais merdosos


Também eu tive e sofri de bullying e nunca fiquei como essas pessoas. Porquê? Mais alguém tem essa experiência?

Poderia manipular, mentir e ter todo o tipo de atitudes merdosas para ser o centro das atenções, mas enoja-me tal coisa. Já me disseram até que sou demasiado "idealista" e "honesto", e que as pessoas têm de ser mais desonestas para se safarem e eu vejo isso, mas apesar de tudo pelo que já passei e vi, simplesmente é algo que não consigo fazer.

A maior parte das pessoas não só tem motivações frívolas, como chega a extremos para concretizar essas motivações, pisando outros apenas porque se põem a jeito. E tudo isto para quê? Para um bocadinho de atenção? É-lhes assim tão difícil passar despercebidas e estarem sozinhas com elas próprias? Vejo as pessoas a terem as atitudes mais repugnantes por recompensas mínimas.

Acontece-me também que muitas vezes quando falo com as pessoas falo com elas de forma demasiado honesta e não há segundas intenções nem significados no que digo e espero o mesmo delas, e por vezes digo-lhes mais do que devo ou sou demasiado honesto. Dantes isto acontecia-me mais, agora que presto mais atenção e percebo melhor as pessoas consigo perceber que a maior parte das pessoas está sempre a tentar apanhar o mínimo deslize, levar-me a dizer coisas que não devo, etc…, ou simplesmente tentar exercer uma certa "superioridade" sobre mim (é dificil explicar). Isto também vos acontece? Se sim, porque acham que é?
R: 14 / I: 0
>ser eu
>ter trauma sexual
>várias namoradas, nunca foi difícil arranjar, no entanto nunca quis experimentar sexo apavorava-me
>20 anos
>reencontro uma amiga de escola, saímos uma noite vimos um concerto dos amor eletro nem é algo que ouça mas com ela foi especial
>não consigo deixar de pensar nela, dia ou noite está sempre na minha cabeça, acho que estou apaixonado
>nunca tinha sentido isto, todas as gajas que tive foi porque queria papar uma gaja ou porque estava farto de não ter ninguém, mas no fim nunca senti nada por nenhuma delas, tanto que entrava na vida delas estávamos uns tempos e depois dava ghost completo sem remorssos
>esta é diferente, é ela , isto é amor
>vamos falando durante uns meses, digo-lhe o que sinto
>é reciproco
>primeiro mês da relação, estou no céu ela ama-me e eu amo-a,ela faz-me querer ser melhor e eu a ela , nunca antes tinha sentido estes dois sentimentos tão fortemente amar e ser amado.
>tentamos fazer amor, barreira mental não deixa não consigo ter ereções, isto arrasta-se por umas largas semanas
>um dia decidi não olhar apenas para o corpo dela durante a nossa intimidade , olhei-a na cara descobri como era bela senti como se me tivesse apaixonado já apaixonado, foi uma sensação tão quente, indescritível
>primeira vez que me entrego a alguém, medo horrível de ser magoado, traído, afinal de contas é tudo puta e eu deixei-me ir sem pensar nisso
>começa a instalar-se esse mindset na minha cabeça
>FF umas semanas pergunto-lhe com quantos gajos já esteve, sabia que tinha tido um namorado fora isso julgava-a bastante reservada
>descubro que não sou nem o 1ro nem o 2do nem o 3ro e que 2 desses eram apenas sex buddies
>sinto uma revolta como nunca senti, como se me sentisse traído, eu espero pela tal e entrego-me totalmente á que realmente acho ser e acabo por descobrir que ela já se entregou dessa mesma forma a tantos outros e que mantém contacto com 2 dos 3 (pertencem a um grupo "profissional" comum)
>sinto que namoro uma oferecida, que realmente é verdade, tudo puta quanto tempo até ser traído realmente, quem sabe se já não fui
>conto-lhe que não sei lidar com isto e que não me vejo com alguém que não teve respeito por si própria logo não me pode nunca pedir para a respeitar
>na beira do abismo, quase a acabar, recebo uma mensagem com imagem
>pernas cortadas "se me abandonas acho que me suicidava"
>engulo tudo a seco, eu amo-a a minha prioridade numero 1 é o bem estar dela o meu é apenas uma consequência do mesmo, digo-lhe que resolvi o problema comigo mesmo e que o erro era meu
>todos os dias deito-me a pensar no mesmo, sinto-me traído e a cada dia piora
>ela apresenta-me aos pais que me recebem como os meus nunca me receberam a mim (venho de uma família que nunca o foi)
>tratam-me tão bem que acabo por lá passar grande parte do meu tempo livre
>cada vez que fazemos amor o sentimento de que não a quero perder é reforçado
>estou ao lado dela em tudo nunca falhei , nunca
>algumas discussões pequenas devido aos meus ciumes e ser tão possessivo, mas a meu ver pedir que ela não use um top kai kai em publico ou que não seja tão intima com os meus amigos é algo que ela mesmo devia saber por si própria e poupar-me disso
>não consigo conter mais, digo-lhe que o assunto não ficou resolvido e que continuo a sentir-me como apenas mais 1, ela garante que não mas eu não sei lidar com isso
>relação quase a acabar, ela desabafa com a mãe e com a irmã, toda a família me odeia, a mãe nunca mais me quer ver nem fora nem dentro de casa, a irmã igual e o pai vem por arrasto
>não a quero perder eu amo-a só não sei lidar com isto, quem me dera ser diferente isto é um erro meu, quem me dera saber lidar com isto
>digo que não quero acabar, que a amo ela diz que me ama que a magoei muito mas que não me quer perder
>decidimos tentar, segunda vez num curto espaço de tempo que digo "vamos recomeçar", promessas por todo o lado
>eu quero realmente melhorar, eu amo-a como nunca amei nem vou amar, honestamente se ela me deixar não vou procurar nem querer mais ninguem
>para esta relação andar vou ter de fingir ser alguem que não sou, alguem que vá de acordo com os ideais dela, vai ser uma relação falsa e de plástico mas ao menos vou estar com ela
ser eu, alguém que faz a namorada sofrer diariamente enquanto sofro também por dentro no entanto não ter a coragem nem o bom senso de acabar uma relação que sei que deve ser terminada porque a amo e não quero perder isto

só queria deitar cá para fora irmãos.
eu amo-a mas sei que o mais certo é acabar para o bem de ambos.
não consigo acabar porque tenho medo de a perder, amo-a demasiado não sei o que seria de mim ou dela, honestamente ela é a tal mas eu só gostava que ela aceitasse o meu verdadeiro eu o meu eu ciumento , possessivo … eu só queria
R: 5 / I: 0
boas manos, preciso mais uma vez da vossa ajuda.
O que é que vocês acham de condicionar algumas ações da vossa parceira?

A minha namorada de vez em quando gosta de usar saia, o problema é que eu não aprecio muito porque sei que vai chamar muito mais atenção masculina e a probabilidade de haver um descuido é bastante alta, quero dizer-lhe que não gosto mas não quero parecer que a estou a enjaular, qual é a vossa opinião neste assunto? diziam que não gostavam? diziam que não gostavam e proibiam-na de usar saias sem voces por perto?

TL;DR: não quero que a minha miúda ande de saia, mas não sei se lhe deva dizer isso ou não

>inb4: SJW e cucks ponham-se no caralho
R: 4 / I: 0
Fiz merda /con/,

Disse a mim mesmo que não iria mais meter-me com gajas comprometidas porque da última vez deu merda e desta fiz ainda pior.
A namorada de um dos meus melhores amigos veio à minha casa buscar umas compotas que a minha mãe fez, ficamos na sala a conversar e a fumar uns cigarros, começamos a falar de sexo, etc e a ficarmos mais próximos, já estava a dizer a mim mesmo que não podia fazer aquilo mas quando dei por mim já estávamos a foder um com o outro… e para piorar as coisas não usei preservativo e vim-me dentro dela.

No fim ela saiu da minha casa a chorar e eu nos últimos dias tenho andado na merda porque pensava que nunca fosse capaz de fazer algo do género, hoje fui tomar café com o nosso grupo de amigos e estavam lá eles os dois, foi super constrangedor e ela não parava de olhar para o chão e eu não sei se ele se apercebeu que se passa alguma coisa porque eu também evitei falar com ele. Tenho falado com ela pelo facebook e ela diz que está na merda e a ter ataques de pânico constantemente. Eu também estou na merda, tenho andado deprimido e nem sei como é que vou reagir… e ao mesmo tempo não consigo parar de pensar nela e ela já deu a entender que quer foder comigo outra vez.

O que faço?
R: 7 / I: 4
Boas pessoal! É o seguinte, namoro com uma rapariga há 3 anos, de inicio era tudo muito bonito, mas chegamos a um ponto em que quase não estamos juntos, no máximo, estou com ela um ou dois dias por semana, com muita sorte. (Eu estudo e trabalho, ela estuda, é complicado)

Mas o problema não é bem esse, tenho vindo a reparar que ela já não se esforça muito, eu passei a ser uma segunda opção em muitas coisas, não vai sair comigo porque vai com os amigos, coisas desse género… (vou tentar resumir)

Tentei marcar uma viagem no verão, mas ela não pode, porque os pais, supostamente não deixam, mas ela ir para Espanha e para o Algarve com as amigas, já não tem problema. Antes estávamos sempre a falar por mensagem ou chamada, agora está sempre ocupada…

Eu tento tudo para que isto funcione, adianto imenso o estudo e os trabalhos, tento mudar os dias de folga, às vezes falto às aulas teóricas, sacrifico tempo com os meus amigos, isto tudo para poder estar um bocado com ela, e sinceramente, acho que ela não retribui.

Também nunca tivemos relações, ela diz que não está preparada, eu respeito e dou espaço, mas começo a achar que algo está errado. (Não é o principal motivo para isto estar a acontecer mas acho estranho) (se alguma rapariga puder dar uma opinião feminina era excelente)

Já falamos sobre isto tudo e ela diz que não há problema nenhum, que é da minha cabeça e não se esforça minimamente para mudar alguma coisa.
Agora vem a pior parte, há pouco tempo, 3 meses, conheci uma rapariga da minha faculdade, (não aconteceu nada, estou comprometido), somos amigos, mas ela é praticamente perfeita, é estranho, mas é, temos imensas coisas em comum, é super divertida, tem classe, tudo, não sei explicar…

E estou a ganhar sentimentos por esta amiga e sinto me mal, até porque amigos nossos, já repararam na tensão sexual que se forma e brincam com a situação. Mas sinto me muito mal com isto tudo, eu gosto mesmo da minha namorada, se não, não me sujeitava a isto tudo, mas sinto me confuso e não sei o que fazer.


Sei que não me vão dar nenhuma formula magica, nem nada mas se me pudessem dar uma opinião, já era bastante bom. Obrigado por lerem e um bem haja!
R: 3 / I: 0

Nunca quererei saber

Não sei, não sei o que escrever sobre mim, sobre nós. O que somos, o que podemos ser. Não sei.
São duas das palavras que mais me disseste… não sei.
Tudo o que sonhámos fazer, todas as metas que sonhámos alcançar, lado a lado, sempre. Pois afinal não havia sequer outra forma,
mesmo sendo realistas, nunca o conseguimos ser na nossa relação. Tentamos ver sempre o melhor de uma pessoa e mesmo quando
esse melhor teima em desvanecer ou acabar mesmo por desaparecer agarramo-nos à lembrança, ás memórias dos tempos passados,
do que nós, duas pessoas complicadas numa história complicada, conseguimos ultrapassar e vencer.

E para quê? De que nos valeu isso? De que me vale ter a certeza que és o amor da minha se tu não estás sabes que eu não sou o teu?
De que me vale agarrar-me a algo que por muito que ame sei que irei conseguir o que mais quero. Fazer-te feliz como o rapaz, que ainda hoje amas, te fez.
R: 48 / I: 10

Fofinhas

>ser eu
>19, na uni
>6/10 max
>virginio em tudo até de beijo
>pressão da mãe para arranjar fofinha
>até saio de casa frequentemente
>average dude das engenharias que joga pc e é nerd pa caralho

Anões quero ajuda, dicas ou assim, para arranjar uma fofinha. Já tento nas festas. E ter amigas de longa data ou mais próximas não tá a ajudar.
R: 15 / I: 1

Mãe de todas as questões

/con/.

Como arranjar namorada?
Dêm-me o guia passo a passo
R: 12 / I: 0
álô manos

É o seguinte a minha fofinha vai a um concerto e pediu-me para ir com ela (vai com uns colegas de faculdade) mas eu recusei porque para ser honesto não gosto de concertos , gosto do grupo em questão mas sou autismo e acho super estranho ir a um concerto não sei como me comportar é horrível.

A questão é que o grupo é muito especial para ela e foi uma das razões para termos começado a falar o que originou a relação, acham que devia deixar de ser atrasado e ir com ela ou se não me sinto confortável não vou?

obrigado
R: 2 / I: 0
>ser eu
>ir ao estádio ver o meu clube
>no meu setor vejo uma ex crush,incrivelmente linda
>lembrar que ela me deixou de responder do nada
>seguir no insta, ela não dá follow back
>ela mete uma selfie eu respondo com um emoji feliz e ela nada
>tento falar com ela e response torto e ignora

Acontece que sempre fui o dominador,nunca passei por isto mas eu todos os dias me lembro dela , sonho com ela e fico sempre a ver o insta a espera de actualizações

Pf ajudem, recentemente as fofas não me dao resposta, nem a porcaria de um match no tinder tive
R: 9 / I: 0
Maninhos,

Passei por uma fase de depressão complicada onde precisava de alguém ao meu lado e comecei a namorar com a primeira pessoa que me apareceu à frente, tendo ligado só à aparência.

Neste momento, segundo os psicólogos, já tenho a depressão tratada e quando olho para a minha namorada, vejo uma gaja bonita mas não me identifico em nada com ela e recuso-me a imaginar o meu futuro com ela.

Preciso de acabar com ela mas estamos a viver juntos e até fizemos uma conta bancária em conjunto.

O que fazer? Foi uma má fase minha e não a quero para a minha vida.
R: 7 / I: 0
como é manos
a situação é a seguinte, "estou" com uma rapariga há cerca de 2 meses. nunca definimos que andávamos ou que namorávamos nem nada disso, simplesmente estamos juntos às vezes. No inicio confesso que até tive um pouco de medo, pq estava a achar que estava mesmo a gostar dela e saí há relativamente pouco tempo duma relação (6 anos) e não queria nem de perto apaixonar-me agora. contudo, não aconteceu e estou um bocado farto de tar com ela, ainda que ela seja 5 estrelas e só queira (mesmo) o meu bem. o meu maior stress no meio disto tudo, é que ao que parece eu tirei-lhe a virgindade… e está a chegar a um ponto que é notório que ela gosta mais de mim do que eu dela, e estar a bazar assim parece que só a quis comer e bazar, quando não é nem de perto a realidade… alguém já passou por algo parecido? só estou com problemas porque gostava mesmo que ela saísse desta situação o menos magoada possível

pica não relatada
R: 17 / I: 3
Boas!
Namoro com uma rapariga há 3 anos, no inicio era tudo muito bonito, uma simples saída, num sitio simples, dava conversa para horas e carinhos, chamadas, conversa por mensagens, etc.
Agora, estamos os dois a tirar o mestrado e trabalhamos em part-time.
Só estamos juntos uma ou duas vezes por semana, no máximo, por causa dos horários.
E parece que a paixão morreu, já não temos tantas coisas em comum, quase não temos assunto, ela está sempre a mandar vir com coisas insignificantes, às vezes nem beijos quer, parece que já não somos nós.
Eu sempre tive bastante facilidade em socializar com o sexo oposto, tenho um grupo porreiro de amigas e tenho algumas colegas de faculdade a atirarem-se a mim. O que acaba por dificultar a minha situação, a minha fofinha, está constantemente com ciumes e recusa-se a falar com as minhas amigas.
Para além disso, nunca tivemos relações, porque ela acha que não está preparada, coisa que eu tinha com ex-namoradas.
Nos últimos meses, ela tem estado muito distante, só temos conversas mais longas quando acontece alguma coisa e ela precisa de apoio e de desabafar.
Já falamos sobre isto tudo e ela acha que está tudo bem, mas vai tentar falar mais, coisa que nunca aconteceu.

Eu gosto dela, mas não consigo arranjar uma solução para isto, o que faço /con/?
R: 11 / I: 0
Boas manolos,
É normal a minha namorada mostrar-me fotos de outras gajas e primeiro perguntar-me se são bonitas e a seguir a minha resposta perguntar se são mais giras que ela?
Ela também faz isso com partes do corpo, nomeadamente mamas e cus. E faz isto de forma recorrente.
R: 11 / I: 3
Boas /con/selheiros

>Ser um gajo com 22 anos

>Um pouco beta e ser virgínio sem beijo
>5/10 máximo 6/10 de aparência (nem feio nem bonito)
>Desde pequeno sempre gostei de jogos (especialmente dediquei imenso ao cs) e uso como um "escape" de todos os meus problemas
>Nunca me preocupei em arranjar uma fofinha, sempre foi aquele que pensava que um dia ia encontrar alguém especial
>Ter 1-2 gajas que gostavam de mim mas eram 2-3/10 por isso nunca dei muita atenção quando era puto
>Ter alguns crushs mas como era um pouco tímido nunca tentei dirigir a essa(s) pessoa(s) (e possivelmente se calhar até gostavam de mim)
>Estar na universidade sem motivação nenhuma e fazer as cadeiras um pouco à pressão
>mcq o meu "escape" já deixou de funcionar e cada vez que jogo parece que não sinto nada e fico mais frustrado


Já tive uma depressão à pala disto mas consegui ultrapassar mas não sei se algum dia posso voltar a ter.
Com isto de não ter gajas já pensei em virar bisexual porque um dia conheci um alemão com quem me dava bem e não sabia que ele tinha um fraquinho por mim (passavamos dias a falar de coisas relacionadas com furrys e bronys). Até que um dia ele disse que precisava de um tempo para pensar nas coisas dele pois ele está a passar numa depressão e como é uma relação online pouco posso fazer (já tinha pensado em encontrar um dia com ele mas não sei se iria resultar).

O que posso fazer anons? Alguém já passou por uma situação semelhante?
R: 3 / I: 2
Boas, candidatei-me a explicador de inglês num centro de estudos como part-time e terei uma entrevista de emprego. O problema é, nunca fui a uma, não sei que espera. Para agravar as coisas, o entrevistador vai ser um antigo professor meu. Ambos sempre tivemos uma atitude neutral e acho que ele é capaz de me foder na entrevista só porque fui aluno dele. É um prof jovem com um ego elevadíssimo onde as gajas derretiam-se todas a falar para ele, carismático… That guy.

Also

Nunca tive grande experiencia em transmitir conhecimentos, algum anon que ja deu aulas/explicações pode mandar aí umas tips de como motivar/ajudar um aluno dp 1º/2º e 3º ciclo?

Obrigados