[ * ] [ c / des / n / t / u ] [ int / luso ] [ b / con / pol / xxx ] [ meta ] [ info / regras / notícias / https / git ]

/u/ - Ensino

Name
Email
Subject
Comment
File
Embed
Password(For file deletion.)

Allowed file types: jpg, jpeg, bmp, gif, png, webm
Max filesize: 10 MB.
Max dimensions: 10000 x 10000.


File: 1516182104040.jpg (27.67 KB, 601x508, 2f7.jpg) ImgOps Exif Google

 No.934

Boas, depois de ver o post do anão deprimido de ontem, decidi criar o meu primeiro post aqui no chan.

Tal como o outro anão, sou estudante de uma das engenharias com maior taxa de empregabilidade, mas devido a uns problemas que aconteceram ao longo da minha vida, atrasei 2 anos no curso. Tenho alguns amigos no curso, mas nenhum a ter aulas comigo, os meus colegas são quase todos falsos e mimados, mas sempre tiveram acesso a exames de anos anteriores, trabalhos e relatórios já feitos, copiam todos uns pelos outros durante os exames e não costumam deixar muitas cadeiras para trás. Eu estou quase a acabar o curso, mas cada vez ando menos motivado nesta merda. Trabalhos de grupo são uma palhaçada que acabo sempre a fazer sozinho porque ou o meu colega não pesca nada do assunto, ou nem se dá ao trabalho de tentar fazer sequer. Na avaliação, o professor trata-me sempre como repetente burro, despreza todo o trabalho que tive e diz que ele não tem culpa que eu só me dedique na vespera. Com esta merda toda, acabo por não ter tempo de estudar em condições para os exames, e acabo sempre por tirar notas de merda, e a minha média está em 12. Os outros otários, andam por aí a passear, e os professores adoram-nos. Durante o curso disseram-me que depois no mercado de trabalho essas pessoas se iam foder, mas eu vejo o contrário. O pessoal copião do meu ano é o pessoal que está a ganhar mais, e em empresas de renome internacional. O pessoal que ficou a fazer doutoramento, é 40% pessoal inteligente, 60% pessoal rico e com conhecimentos. E eu tento ignorar estas merdas, mas depois lembro-me que vou sair do curso a ganhar 1000 euros com sorte, para ter de viver a 1h do trabalho, e ter de gastar 1/3 do meu salário em habitação, tirando as restantes despesas todas.

Ajudem-me anões, cada vez mais me apetece desistir desta merda e ir trabalhar para o campo, ou mesmo para um supermercado, recebo mal mas saio a horas certas, e não veria o meu trabalho a ser enxovalhado por preconceitos de superiores iludidos. E não precisaria de viver em Lx ou no Porto, ganhava metade do salário, mas gastava menos em habitação e podia viver sozinho.

 No.935

>>934
Eu vou te dar o melhor conselho que eu consigo: arranja trabalho e congela a puta da matricula mal tenhas rendimento assegurando durante X meses. Faz um ano sabático, trabalha e ganha uma perspectiva nova. Com sorte farás novos amigos. Não cagues para o curso, estás a pensar em termos de início de carreira mas não te esqueças que as coisas evoluem, não só circunstâncias profissionais como também até pessoais. Digo-te sem qualquer dúvida que é bom ver o que existe para lá do caminho mas não te percas em trilhos de cabras, deves eventualmente voltar para acabar o que começaste. Dá o teu melhor, rapagão, e confia em ti, não te esqueças que por muito viciado seja este mundo e as suas gentes, os outros também são um reflexo da nossa atitude. Ânimo!

 No.938

>>935

Já pensei seriamente em ir mesmo trabalhar… Se o semestre correr mal, vai ser mesmo o que vou fazer. Honestamente estar a viver do dinheiro dos meus pais (que são pobres) também me está a desgastar aos poucos… Obrigado pelo apoio, vou tentar deixar de ser tão pessimista

 No.959

Então tu estás num curso com alta taxa de empregabilidade e ponderas desistir do mesmo, acho isso má ideia

 No.962

>>959
Eu já estou licensiado, e faltam-me 2/3 semestres para acabar o mestrado, mas sinto que só estou a perder tempo em vão, já sou autoditata e capaz de trabalhar, e embora aprofundar um pouco o meu conhecimento em geral seja bom, ser completamente marginalizado pelos meus professores e colegas, só para ir ganhar mais 100 euros por mês…

Por outro lado, tentar arranjar emprego agora vai deixar o empregador a pensar que eu sou desistente e que não sei lidar com as pessoas (e por vezes não sei, e também não sei como contornar isso).

 No.964

>>962
Quem trabalha é porque precisa de trabalhar. A única coisa que o teu empregador alguma vez se irá preocupar é se és sincero e afincado. Não deves desistir do teu curso mas também não insistas constantemente nele se vês que não estás a ser produtivo. Às vezes mudar de ambiente é importante. Coragem, anão.

 No.967

Revejo-me um pouco no teu post anão, apesar de tentar ao máximo focar-me só no que eu posso fazer e melhorar a minha performance académica já estou farto desta merda de secundário 2.0.

 No.971

Conselho: Essa malta que copia fode-se e aos montes. Já vi uma dúzia deles. Só que há uma condição: levam perto de um ano a foder-se.
Repara: é malta com conexeções, com amigos, com cartas de recomendação.
Metem-se num emprego onde toda a gente está cheia de boa vontade com ele porque veio recomendado.
Leva tempo até a pilha de merda que fazem todos os dias começar a erodir essa boa vontade.
Se tu ou alguém aqui trabalhar com alguém assim, conselho sábio: se essa pessoa está a 1 ou 2 meses de acabar o contracto, distanciem-se o mais possível. Trabalham noutro departamento, outro projecto, qualquer coisa para evitar interagir com eles. Quando eles se fodem, raramente se fodem sozinhos.

>1/3 para habitação

Foda-se, onde vives? Se pagas mais de 150€ de renda estás a ser burro.
O que fazes é arranjar algum sítio com 250-300€ de renda e dois quartos, divides com um colega. Se não tens, procura que há muita gente á procura de pessoal para dividir apartamentos assim.
A única razão para pagar mais que isto é quereres viver em Lisboa/Porto que são duas grandes lixeiras em céu aberto onde as hipóteses de encontrares emprego são as mesmas de levares um tiro.
Vai para o interior, ou Aveiro ou o Sul ou o Norte. Para onde quiseres desde que não seja uma cidade grande.
E não, seu imbecil, não ganhas metade do salário.
Com licensiatura, o mínimio legal que te podem pagar são 700€.
Vais levar com 130€ de impostos que te fodes, mais 150€ de renda e 100€ de contas. Guarda sempre 200€ para alimentação. Boom: ficas com 700 - 130 - 150 - 100 - 200 = 120€ para gastar em putas e vinho verde todos os meses. Põe 50€ de lado todos os meses. Ao fim de 10 meses (o teu primeiro contracto está quase no fim) abre uma conta poupança com 500€.

Ultima dica: o teu primeiro emprego vai ser sempre uma merda onde ninguém confia nem te acha competente. Aguenta porque esta merda é mesmo assim. E caga completamente: se tiveres de sair ao fim de um ano é na boa. Um ano a trabalhar como engenheiro dá-te uma vantagem enorme em qualquer entrevista de emprego sobre toda a miudagem que sai da faculdade esse ano.
Tenta é não ser despedido ou sair antes de um ano. O teu segundo patrão vai achar isso muito estranho e conta bastante contra ti.

 No.972

>>971
>malta que copia fode-se aos montes

conheço uma gaja incompetente que foi contratada para team leader, passa a vida a viajar por conta da empresa com meia dúzia de "escravos" - gajos que não acabaram 2 mestrados com média de 16 - a faze-la parecer competente

>habitação


A minha namorada foi trabalhar para Lisboa, lá a habitação é absurda em relação ao resto do país. Não é mentira a parte de teres de pagar 250/300 euros por mês por um quarto em casa partilhada.

De qualquer maneira obrigado pelos conselhos anão, infelizmente este semestre teve uma cascata de acontecimentos que me prejudicou no estudo, e deixei-me ir abaixo por causa de uns stresses com um professor. Agora já levantei a cabeça, e já estou a olhar para o futuro com os olhos abertos e com os punhos cerrados

 No.973

>>934
Nota importante: se o curso for de mestrado integrado, o IEFP não reconhece licenciatura, manda-te o dedo do meio e considera-te "agricultor de 12.º ano".



[Return][Go to top] [Catalog] [Post a Reply]
Delete Post [ ]
[ * ] [ c / des / n / t / u ] [ int / luso ] [ b / con / pol / xxx ] [ meta ] [ info / regras / notícias / https / git ]