[ * ] [ c / des / n / t / u ] [ int / luso ] [ b / con / pol / xxx ] [ meta ] [ doar / info / regras / notícias / https / git ]

/pol/ - Politicamente Incorrecto

Name
Email
Subject
Comment
File
Embed
Password(For file deletion.)

Allowed file types: jpg, jpeg, bmp, gif, png, webm
Max filesize: 10 MB.
Max dimensions: 10000 x 10000.


File: 1503078668673.jpg (30.22 KB, 369x370, 1502951131001.jpg) ImgOps Exif Google

 No.2906

O que aconteceria em Portugal se todo o socialismo fosse abolido, segurança social, pensões, saúde, ensino, mas os impostos fossem todos reduzidos em 50% ou mais?

 No.2907

Ias criar uma desigualdade brutal. Os pobres não tinham maneira de ter acesso à saude, alimentação e etc como tinham e apesar de receberam mais não iam ter mais poder de compra. Para os ricos ia ser a mesma coisa.
Atenção, eu não sou a favor do socialismo e estou muito próximo dos ancaps mas assim do nada não ia resultar.

 No.2908

>>2907
Então e se retirássemos só a segurança social e reduzíssemos as pensões e obrigássemos os 25% de impostos que cortamos a ficarem dentro do país?

 No.2909

>>2907
>não iam ter mais poder de compra

mas se baixas os impostos eles têm
e num mercado com competição os preços iriam baixar

 No.2910

>>2909
Não crias saúde e educação dum dia para o outro

 No.2912

>>2906

Assim de repente, uma catástrofe humanitária, Portugal está montado social e economicamente para ser dependente do estado.
Essas medidas a serem implementadas teriam de ser em forma gradual.

Recolocando as reformas nas empresas, os trabalhadores descontavam para fundos geridos pelas empresas ou para empresas gestoras de reformas.

A segurança social teria sempre de ficar sob domínio do estado, mas seria uma segurança social de emergência e não de continuidade.

A saúde seria no modelo da ADSE (que só funciona para os funcionários públicos, haja hipocrisia..) onde o estado dá um orçamento e o utente vai ao medico que achar melhor.

A escola com o cheque ensino, onde o estado subsidia parcialmente os miúdos e os pais escolhem a escola que querem (o método que estava ser testado e que o comuna do min da educação destruiu para fazer favores aos sindicatos).

Com estas medidas já podiam reduzir os impostos e o pessoal ficava com mais dinheiro para administrar a sua vida como achasse melhor. Já para não falar na poupança de não pagar a montanhas de funcionários públicos que teriam de arranjar um emprego a serio.

E o estado ficava com o que devia fazer, servir como ajuda de ultimo recurso e fazer observar as regras. Os mamões iam procurar mama para outro lado e o privado que fizesse trafulhice seria punido a serio e não como acontece agora, onde ninguém é culpado de nada mas há ladrões por todo lado.

 No.2913

>>2910
>>2912

então e se abolir tudo, mas todas as pessoas vivas são reembolsadas todo o dinheiro que descontaram para a Segurança Social?

 No.2914

>>2913
Boa sorte a arranjar dinheiro para fazer isso.

 No.2915

>>2910
>ser-se este atrasado mental que pensa que neste país não há escolas, colégios, universidades, hospitais e unidades de saúde de entidades privadas

Deves pensar que vives em Cuba.

 No.2916

>>2913
Não é assim que funciona. A Polónia fez algo semelhante e acho que disparou a sua dívida pública de 10's% para 50's%.

O que o outro anon que tu citas descreve o caminho mais correcto e provavelmente o que mais beneficiaria todos no longo prazo. Mas nunca vai acontecer porque a canalhada de esquerda perderia o controlo dos sindicatos e funcionários públicos e com isso lá se vão votos e fundos.

 No.2917

>>2916

mas o que é pior
pagar esses 50% de divida
ou manter um esquema em pirâmide onde a população está cada vez mais envelhicida e os mais produtivos saem do país até s+o ficarem os velhos e burros?

 No.2918

>ele nunca ouviu falar no brazil
omfg manos
antes começarem com conjecturas, abram os olhos

terias um brazil v2.0
com policia militar, guettos todos fodidos e condomínios privados…

 No.2919

A cultura portuguesa não permite isto. A vida fica cara coo o caraças e a única coisa a que assistirás é empobrecimento, pessoas a morrer por falta de cuidados médicos e pessoal indigente não qualificado.

O mercado não é infalível e a classe empresarial tem tantos defeitos quanto aqueles que trabalham por conta de outrem.

 No.2920

>>2919

>*como

 No.2921

File: 1503109389039.jpg (95.41 KB, 604x411, 1503106858775.jpg) ImgOps Exif Google


 No.2922

>>2915

>achar que são suficientes

Boa cena

>>2918

>o Brasil do Partido dos Trabalhadores promoveu a liberalização económica

Pesquisa só sobre as taxas alfandegárias e o tamanho da função pública e o valor dos impostos, burro

 No.2923

>>2921

>varandas com piscina/jacuzzi

 No.2924

>>2918
No Brasil o estado é o maior dos monopólios, no fundo era o que o Sócrates querias fazer cá, 3 ou 4 monopólios com estado no meio.

Depois tens uma enorme população com poucas ou nenhumas habilitações, numa sociedade (tal como a Portuguesa) que não foi industrializada, portanto tens a maioria da população a trabalhar em serviços mal pagos ou em atividades agrárias obsoletas.
Os monopólios brasileiros não têm o mínimo interesse em tornar-se competitivos (e aumentar a produtividade com a consequente subida de salários) …porque são monopólios, e o estado parece contente com isso.

 No.2925

>>2921

o Brasil não tem mercado livre
tu já viste as tarifas que aquele país tem?
o Brasil funciona com manter grandes empresas a controlar o mercado nacional para o Estado taxar, não existe competição

 No.2928

>>2917
O problema é disparar agora a dívida de 130% para 180% (ou possivelmente mais consoante os cálculos efectuados). Tornar-se-ia impossível financiar nova dívida devido ao valor dos juros. No limite poderia era impor um novo sistema de contribuição do mesmo género que a Suíça onde existem três pilares e o do Estado somente assegura o mínimo dos mínimos. Mas não sei como financiar esse sistema uma vez que seria impossível obrigar as pessoas a contribuir o mínimo o que iria colapsar o sistema actual..

>>2922
Claro que são mais que suficientes. Tens números de professores e médicos suficientes. Tens infraestructuras suficientes. Poderia fazer-se a venda a privados ou optar por sistema misto tipo Alemanha e Filândia onde o Estado paga o valor de cada pessoa e o indivíduo opta pela diferença se for para o privado. Há ANOS que se fala nisto. Não vai para a frente porque o país continua igual ao tempo do Salazar - corporativista.

 No.2929

>>2928
>(…)obrigar as pessoas a contribuir o mínimo o que iria colapsar(…)

"a contribuir mais do que o mínimo"

 No.2930

>Primeira discussão sem meter tendas do BE, memes do PNR ou caralhos de cor escura

+1 ao OP e restantes danones

 No.2931

>>2928
Como é que a dívida aumenta se o Estado corta imenso na despesa (e na lógica do OP cortaria algo semelhante nos impostos)?

>seria impossível obrigar as pessoas a contribuir o mínimo

Quê? As pessoas não quereriam(?!) pagar impostos mínimos?
>Tens números de professores e médicos suficientes. Tens infraestructuras suficientes
E os modelos para essa gente e espaço? Ou achas que passas a BP para a Galp e esta faz tudo bem dum dia para o outro?
>Não vai para a frente porque o país continua igual ao tempo do Salazar - corporativista.
Não sabes do que estás a falar, (neo)corporativistas são os Estados escandinavos - cá isso é um papão salazarista e a única estrutura que resta parecida é a Concertação Socia. Havendo tanta concertação que o maior sindicato nunca aceita nada e é um ramo do PCP.

 No.2932

>>2931
>Como é que a dívida aumenta se o Estado corta imenso na despesa (e na lógica do OP cortaria algo semelhante nos impostos)?

Porque o Estado tem de assumir imediatamente os custos financeiros das futuras contribuições da Segurança Social em vez de continuar num sistema "Pay-As-You-Go" que só seria válido para aqueles que entrariam no novo sistema de contribuições (tabeladas e indexadas com novas regras).

>Quê? As pessoas não quereriam(?!) pagar impostos mínimos?


Fiz a correcção no post abaixo. O que queria dizer é que a partir do momento que tens um sistema assente em diferentes pilares da Segurança Social, não podes obrigar as pessoas a descontar MAIS do que o mínimo obrigatório - que rapidamente levaria ao colapso do sistema por não ser capaz de financiar as actuais pensões/reformas.

Claro que isto facilmente se resolvia se não estivessemos no Euro. Deixo-te a pensar na solução.

>E os modelos para essa gente e espaço? Ou achas que passas a BP para a Galp e esta faz tudo bem dum dia para o outro?


Não houve problemas com a privatização da EDP ou dos CTTs aquado foram transitados da esfera pública para a privada. Também não deverá haver agora com a Altice/PT (exceptuado a macacada que o actual Governo anda a fazer). Nada me leva a crer que seria diferente na Educação ou Saúde, onde já existem n prestadores de serviços privados com experiência e capital.

>Não sabes do que estás a falar, (neo)corporativistas são os Estados escandinavos - cá isso é um papão salazarista e a única estrutura que resta parecida é a Concertação Socia. Havendo tanta concertação que o maior sindicato nunca aceita nada e é um ramo do PCP.


Tu é que não fazes a mínima ideia daquilo que tás a falar. Basta pensar na promiscuidade que existe entre negócios privados e Estado através de PPPs com grandes construtoras que tem no seu quadro administrativo antigos ministros/secretário de Estado, financiamento de empresas públicas (ou mesmo algumas privadas) por parte dos bancos com condições absolutamente rídiculas na avaliação do risco, a instrumentalização dos sindicatos, em particular da FENPROF, para assegurar que nenhuma reforma no ensino é permanente ou os tentáculos da Ordem dos Médicos que condicionam todas as alterações estruturais na área da Saúde (falam do papão da Indústria Farmacêutica, por exemplo, mas não têm o mínimo de noção do quanto insignificante é comparativamente com a classe dos médicos).

Tens inúmeros exemplos que mostram que este país não saiu do Corporativismo desde o 25 de Abril. Mascarou-se e desta vez é aplaudido por todos porque todos beneficiam desta bandidagem - mas não duvides que tá tão mau (ou até pior) que nos tempos do "Dr. Salazar".

 No.2967

>>2932
Mas corporativismo não é isso pois não é o Estado que está a mediar as relações entre trabalhador e patronato. A não ser que tomes o Estado pela elite política que o compõe actualmente e não pelas instituições e normas que o determinam.

 No.2968

>>2928
Tens professores suficientes?
Turmas enormes de 30 alunos porque o ministério não quer contratar mais professores de forma a reduzir o número de alunos por turma? okay maninho

 No.2969

File: 1504260661509.png (9.76 KB, 496x281, PORDATA_-_Taxa_bruta_de_na….png) ImgOps Google

>>2968
Essa dos professores por alunos é dos maiores disparates que existem.

-O numero de crianças em idade escolar diminui de ano para ano enquanto o numero de professores no quadro estabiliza ou aumenta.
"Este ano 7.306 docentes contratados conseguiram um lugar nas escolas, mais 500 do que no ano anterior, segundo a tutela."
http://expresso.sapo.pt/sociedade/2016-08-30-Fenprof-Professores-colocados-nao-respondem-as-necessidades-permanentes


-A China que tem um numero de alunos por turma (48) muitíssimo superior á Grécia ou Portugal, esmaga a maioria dos outros países nos teste do PISA, igual para Singapura (35) e Japão(32).
https://www.theeducator.com/blog/class-sizes-around-world/
https://static1.businessinsider.com/image/58471001ba6eb6d3008b7bf9-1200

O mito que, numero de professores = melhores performances dos alunos é uma treta criada pelos sindicatos.

Tens de começar a ver o mundo como ele realmente é não como as memes da nossa comunicação social dizem que é.

 No.2970

>>2969
Primeiro. A cultura chinesa é completamente diferente da nossa. Não tens miúdos insolentes e mal educados na escola que faltam o respeito ao professor.
Segundo. Os meus pais são os dois professores há mais de 30 anos e sabem bem o que é ter de lidar com 30 garotos aos berros e a fazer porcaria.
Terceiro. Meter menos alunos por turma permite ao professor ter um ensino mais personalizado a cada aluno.
Engraçado que referes esses países que são asiáticos e como referi, culturas diferentes.

 No.2971

>>2970
Essa da "cultura" é uma boa desculpa…
Mas os números mantêm-se, mais professores por aluno não equivale a ter melhores resultados e o numero de crianças diminui enquanto o dos professores permanentes do quadro aumenta.
Estas são as realidades mesuráveis.

 No.2972

>>2971
Exacto, mas isso são números apenas. Não há qualquer contexto associado. Não podes tirar conclusões assim à papo seco.

 No.2973

>>2972
Exato, então vamos tirar conclusões baseadas nas forofias fantasiosas dos tipo dos sindicatos e da Marina Mortágua, baseadas em estudos "sociológicos" feitos pelo Boaventura Sousa Santos, onde ninguém devia chumbar e os exames são "opressão".

Ter mais ou menos alunos por turma não é o relevante, isso está demonstrado, o relevante é a falta de autoridade que os professores e as escolas têm, achas que se um puto em Singapura ou no Japão começar a fazer merda, não é logo expulso da sala e suspenso ou se outro não entrega os trabalhos a horas não leva um 0, ou ainda se alguém tiver uma media negativa o passam de ano "para não ficar para trás".
O dar constantemente atestados de coitadinho, não ajuda ninguém, só transforma o individuo numa vitima permanente incapaz de ter responsabilidade pelo que faz.
O que não existe no nosso ensino é sentido de responsabilidade e disciplina. O que é ainda mais grave nas escolas de zonas chungas, esses alunos é que necessitam ainda mais de disciplina e estrutura porque em casa não a têm.

Ter mais professores interessa ao sindicatos, mais associados, mais dinheiro e mais poder. E por extensão aos socialistas e comunistas, mais pessoal a depender e a ser controlado pelo estado.

 No.2974

>>2973
Sim claro. Os professores perderam a autoridade e não podem fazer nada aos meninos que lhes cai tudo em cima do professor porque os pais não sabem dar educação em casa

 No.2976

>>2970
>Segundo. Os meus pais são os dois professores

como se sente vires de uma familia que chupou dinheiro ao contribuinte durante decadas e nunca contribuiu para a economia portuguesa?

 No.2977

>>2976
>chupou
Vai-te foder filho da puta. O professor é o tecido da sociedade. São eles que dão educação e ensinam à população. Inclusive a ti.

 No.2979

>>2977

esse cu dorido
eu nao sou cigano nem mouro a quem nao deram educaçao em casa

 No.2981

>>2979
Os teus pais sabem o programa todo do ensino obrigatório do 1º ao 12º? Cum caraças…

 No.2982

>>2977

> O professor é o tecido da sociedade. São eles que dão educação e ensinam à população.


Tendo em conta a maior parte dos professores que andam por aí, não admira que um tugas sejam uns ignorantes na sua maioria.

 No.2983

>>2982
>insinuando que não foram os governos que retiraram constantemente autoridade aos professores e sucessivas más decisões na gestão da carreira do professor
Tenho pena que sejas um filho da puta. És pior que um cigano arraçado de preto.

 No.2984

>>2983

O português comum é estúpido.
A maior parte dos professores são portugueses comuns.
Logo, a maior parte dos professores são estúpidos.
Logo, tens gerações de portugueses a serem "educadas" por gente estúpida.

Tenho pena que nunca tenhas ouvido falar de lógica. És pior que um preto arraçado de cigano.

 No.2985

>>2984
Que silogismo de merda. Volta para o secundário.

 No.2986

>>2984

Eu não sou muito dado a filosofias mas isso é uma falácia. A maior parte dos professores não são portugueses comuns. Se o fossem ganhariam ordenado mínimo, o que não é verdade.

 No.2987

>>2986

> A maior parte dos professores não são portugueses comuns.


Não me digas então que são portugueses excepcionais.

 No.2988

>>2906
Eu gostava muito que Portugal se tornasse anarco-capitalista. É a mesma lógica dos sindicatos…eu preferia muito mais que nunca tivessem existido sindicatos, pois assim nunca teria havido leis laborais, as pessoas continuariam a trabalhar 18h por dia, 7 dias por semana(Domingo é dia de missa). Como os sindicatos foram conseguindo umas meras migalhas ao longo dos anos, nunca houve uma verdadeira revolta em que se mate tudo o que é gente inútil para a sociedade.

Ora o capitalismo não consegue sobreviver sem estado. Gera demasiada corrupção, demasiados parasitas inuteis tipo bancos de investimento, companhias de seguros, agências de classificação de risco de crédito, bolsas de valores onde se vendem pedaços de papel sem qualquer tipo de valor no mundo real etc.
Eu estava mesmo sorridente e feliz da vida quando em 2008 se soube que o Lehman Brothers declarou falência. As falências começaram a alastrar-se por todo o lado graças ao neoliberalismo globalista que os americanos impingiram ao globo. O capitalismo ia morrer…já estava a fazer o filme todo na minha cabeça. "Os bancos vão todos falir, as pessoas perdem as suas poupanças e vão ficar revoltadas"
Até que os governos em todo o mundo ocidental começaram a usar dinheiro público para salvar os bancos…e agora temos de esperar pela próxima e inevitável crise do mercado de derivativos financeiros para o capitalismo colapsar de vez, pois o mercado de derivativos é o equivalente a 30x o PIB do PLANETA INTEIRO. Não vai haver dinheiro público que chegue para tapar tanto buraco ahahahaha

Conseguem imaginar capitalismo sem existência de estado, governos centrais a aprovar leis que me obrigam a ser cliente de empresas privadas? Assim que chegasse a primeira crise financeira colapsava tudo imediatamente, não havia dinheiro público para salvar o quer que fosse. Era lindo! Era perfeito! Finalmente pessoas como o OP iam ser enforcadas na praça pública em vez de andarem por aí a promover corrupção e crime organizado.

 No.2989

>>2988
Eu gostava muito que Portugal se tornasse (ainda mais)comuno-socilista. É a mesma lógica das empresas…eu preferia muito mais que nunca tivessem existido empresas, pois assim nunca teria havido empregos, as pessoas continuariam a ter agricultura de subsistência, 7 dias por semana(Domingo é dia de missa). Como as empresas foram conseguindo grandes progressos ao longo dos anos, de vez em quando há revolta mas o sistema regenera-se porque ninguém quer atividades de subsistência ou migalhas do estado falido.

Ora o comunismo não consegue sobreviver sem estado. Gera demasiada corrupção, demasiados parasitas inuteis tipo sindicatos, "empresas" publicas, observatórios, comissões, institutos de gestão publica onde se vendem obrigações do estado sem qualquer tipo de valor no mundo real etc.
Eu estava mesmo sorridente e feliz da vida quando em 2013 se soube que na Venezuela as pessoas não tinham papel higiénico ou comida nas lojas. A fome começou a alastrar-se por todo o lado graças ao sócio-comunismo que os soviéticos impingiram ao globo. O comunismo ia morrer…já estava a fazer o filme todo na minha cabeça. "O povo Venezuela vai revoltar-se, as pessoas com fome e oprimidas vão ficar revoltadas"
Até que o governo da Venezuela começou a usar a força para se manter no poder com a cumplicidade do comunistas caviar que parasitam o mundo ocidental capitalista…e agora temos de esperar pela próxima e inevitável crise, com mortos na rua, violência e golpes de estado, pois os governos comunistas para alem de causarem miséria onde existem NUNCA SAEM A BEM. Não vai haver dinheiro o que chegue para tapar tanto buraco ahahahaha, vão demorar décadas para as pessoas da Venezuela recuperarem desse sistema.

Conseguem imaginar o estado sem existência de capitalismo, governos centrais a aprovar leis que me obrigam a ser cliente de empresas publicas porque não outra escolha? Assim que chegasse a primeira crise financeira colapsava tudo imediatamente, não havia dinheiro estrangeiro para salvar o quer que fosse porque estavam sobre envidados. Era lindo! Era perfeito! Finalmente pessoas como o OP iam ser consideradas em vez de estigmatizadas, em vez de andarem por aí a promover corrupção politica e crime organizado, tipo Sócrates e Cia, PPP's, empresas publicas ineficientes e sobre-endividadas, sindicatos que controlam os trabalhadores em função da ideologia e não das causas praticas da negociação laboral, baixa produtividade endémica, falta de investimento e a constante tentativa de estatizar tudo como na URSS (que também resultou extremamente bem).

Moral da historia o capitalismo tem crises e regenera, o socialismo tem crises e afunda-se cada vez mais até atingir a miséria absoluta e irredimível.

 No.2991

Acho que sem esses "serviços" conseguiria diminuir-se os impostos bem mais que 50%.

Inicialmente haveria um período de transição caótico e com repercussões para a população.

Depois disso, haveria a oportunidade de criar uma grande economia, novas oportunidades de trabalho, indústria, inovação, arte, e talvez Portugal se tornasse na Hong Kong da Europa, cheio de investimento estrangeiro e gambling.

Mas mais tarde ou mais cedo as pessoas revoltar-se-iam, mesmo que estivesse tudo a correr muito melhor do que corre agora, porque por mais simples que um sistema assim seja, as pessoas não conseguem perceber as suas vantagens, e estão à mercê de um movimento qualquer que as inspire a lutar pela "justiça" e pelos mais pobres, mesmo que o resultado seja ainda mais pobres (a disparidade de rendimentos seria maior, e haveria pessoas a receber salários mais baixos, o que não é necessariamente mau, porque a maior parte teria a possibilidade de conseguir emprego melhor eventualmente e sempre teria emprego assegurado), ou que as inspire a manter a riqueza dentro do país, já que é certo que haveria uma quantidade grande de investimento a sair e a entrar por parte de estrangeiros. Ou haveria pelo menos um movimento saudosista para trazer de volta o estado social, pelo menos aos poucos.

 No.3009

File: 1504972179344.png (602.38 KB, 793x794, 1490030084475.png) ImgOps Google

>>2988
>>2989

>demencias marxistas que não acontecem na vida real

nos EUA depois da guerra civil até ao século XX não havia regulação, estava cheio de exploração e monopólios como o Rockefeller e Vandebilt e ainda assim o salário médio aumentava todos os anos, quanto mais o Estado interfere no mercado pior é tanto que o Obama com as suas politicas socialistas foi o ÚNICO presidente na História dos EUA sem ter um único ano com crescimento superior a 3%
e mais ainda, os países "neo-liberais" como tu dizes têm as melhores condições de trabalho enquanto os paraísos Marxistas como a China a vida humana não tem valor ou o Estado Socialista da Venezuela que tem as maiores reservas de petróleo do mundo as pessoas morrem à fome

 No.3010

>>3009
O exemplo da China não foi o mais feliz, a China atual é um sistema de mandarinato tipo união nacional com uma estética comunista.
Tomara nós aqui ter o impulso capitalista da China.

 No.3011

>>3010

a China não é capitalista
a China é um país colectivista que se tornou no centro industrial no mundo porque chamou empresas estrangeiras a fazer lá fábricas porque a vida humana não tem valor na China e a mão de obra é vasta e barata

 No.3013

>>3011
Certo, mas depois, formou as sua próprias empresas com o know-how adquirido.

Hoje a china tem empresas privadas que vão dos serviços, á extração de petróleo á venda de fast food.
Mais uma vez, tomara Portugal ter o impulso capitalista da China, a historia da mão de obra barata é uma falácia, Portugal tem a mão de obra mais barata da Europa ocidental, mesmo assim as firmas vão para a Irlanda onde a mão de obra é das mais caras.
Comparar a China de hoje com a do Mao é um erro. O sistema político não é democrático (e aqui podíamos discutir a verdadeira "amplitude" da democracia ocidental) mas o sistema económico é pro capitalismo.

 No.3014

>>3013

falsa comparação
a irlanda é a mão de obra mais barata dos nativos que falam inglês, por isso é que foram para lá, tal como a india, tem muitos faladores de ingles e mao de obra barata

 No.3016

>>3014
Deves estar a gozar, as empresas vão para a Irlanda porque falam inglês…

As empresa não vão para um sitio por causa da língua, vão pela formação e pelos benefícios fiscais a longo prazo.
Se fosse pela língua estavam todas no Quénia ou no Zimbabwe onde a língua oficial é o inglês e a mão de obra ainda é mais barata..

 No.3017

>>3016

tu não sabes o que dizes
trabalhar com pretos é perda de dinheiro
conheço muitas pessoas que já trabalharam com empresas na angola e moçanbique e os pretos arranjam sempre desculpa para não trabalhar, mais, sei quem já teve empresas lá e a primeira coisa que te dizem é que se queres que os pretos trabalhem pagas-lhes ao dia, se pagas ao fim do mes desaparecem até ficarem sem dinheiro

 No.3026

um monte de "trabalhadores" iam com o caralho e o pessoal que quer mesmo trabalhar mas está desempregado arranjava emprego

 No.3027

>>2973
>se alguém tiver uma media negativa o passam de ano "para não ficar para trás".
Lol eu andava a foder a minha DT e chumbei na mesma, não sei como é hoje em dia mas duvido que passem alguém assim

 No.3028

>>2977
>São eles que dão educação e ensinam à população
Um problema, a maior parte das pessoas são miseráveis, e não há um "filtro" para escolher os bons stores, ou seja, a maior parte dos stores são pessoas horriveis, cumps

 No.3029

>>3027

pics

 No.3065

>>2909
Isso é um cavehat. A cena é que apesar dos impostos caírem os preços não dexem. Já hove 2, ou três vezes que isso aconteceu cá e das duas os precos continuaram no mesmo.

Pior é que se reduzisses os impostos o estado rntrava em falência. Não temos mais maneiras de sustento.


Isto ssm falar das restantes consequências.

 No.3067

>>3065
Os impostos cá nunca "baixaram" quanto muito houve umas suspensões temporárias para efeitos eleitorais (ver a "baixa" do IVA) e normalmente compensado pela subida de impostos em outras áreas ou em impostos indiretos.

A baixa de impostos significa as pessoas e as empresas terem mais dinheiro e porem esse dinheiro a circular na economia. No nosso modelo socialista o que acontece é o estado ineficiente e cheio de mamões consome uma grande parte do capital e depois vomita uma misérias sob a forma de subsídios e serviços públicos de merda.

 No.3082

File: 1506303038434.jpg (554.68 KB, 1751x1648, 61b1e8c7f52b716c5a4dce3ef6….jpg) ImgOps Exif Google


 No.3125

>>3065

não entrava em falência se os serviços que fodem o dinheiro todo como a segurança social e sistema de saúde fossem abolidos como esplicitamente escrito no OP



[Return][Go to top] [Catalog] [Post a Reply]
Delete Post [ ]
[ * ] [ c / des / n / t / u ] [ int / luso ] [ b / con / pol / xxx ] [ meta ] [ doar / info / regras / notícias / https / git ]