[ * ] [ c / des / n / t / u ] [ int / luso ] [ b / con / pol / xxx ] [ meta ] [ info / regras / notícias / https / git ]

/int/ - International

English only!
Name
Email
Subject
Comment
File
Embed
Password(For file deletion.)

Allowed file types: jpg, jpeg, bmp, gif, png, webm
Max filesize: 10 MB.
Max dimensions: 10000 x 10000.


File: 1513284023993.jpg (121.76 KB, 800x533, grocerystrore.jpg) ImgOps Exif Google

 No.567

Olá tugas, estou pensando em me mudar para Portugal para abrir uma mercearia ou bar porem não sei quanto dinheiro seria necessário, tenho o equivalente a 20 mil euros para investir mas não sei qual seria a melhor cidade para investir, seria melhor escolher uma cidade grande devido ao maior fluxo de pessoas ou uma cidade menor devido a menor concorrência? Resumindo tenho o dinheiro porem estou completamente perdido, qualquer dica será bem vinda.

 No.570

Sou de Lisboa e pelo que vejo por aqui, se abrires uma pequena mercearia de bairro, para alem de teres como concorrência os super mercados (talvez o mini preço que há em todos os cantos) tens ainda uma série de indianos e chineses que andam a fazer o mesmo.

Eles trabalham até altas horas da noite, aproveitam essas horas para vender álcool (nem sei se é legal) e raramente fecham.

 No.571

Tás bem fodido porque as pessoas só compram nas grandes superfícies. Os shoppings e essas merdas lixaram a maior parte do negócio de rua.

 No.572

>>567
>seria melhor escolher uma cidade grande devido ao maior fluxo de pessoas ou uma cidade menor devido a menor concorrência?
Menor = melhor. O mercado tradicional está muito comido nas cidades e dependendo do sítio podes até ter o impacto certo se tiveres a ideia certa. Dinheiro a sério só mesmo nas cidades.

 No.573

>>570
Então cidade pequena é melhor? Como é essa regulamentação de álcool que existe em portugal? Tenho uma mercearia aqui no Brasil e posso vender de tudo cerveja, vodka, cachaça, vinho e etc; por aqui não existem leis quanto a isso até remédios eu posso vender.

 No.574

>>567
Tens duas hipóteses ou cidade pequena ou cidade grande (Lisboa, Porto, possivelmente Braga, Leiria ou Faro).

Numa cidade pequena é ver a densidade populacional e o numero de mercearias supermercados que lá existem, e arranjar um sitio onde a densidade seja alta e as lojas desse tipo sejam menos. A renda também deve ser bastante barata, no entanto não vai ficar rico de certeza.

Numa cidade grande tem de ser uma mercearia de nicho ou fina, só com produtos raros, bem embalados e de qualidade de preferência com serviço de entrega, porque em produtos normais nunca vai poder competir com os grandes supermercados.
A renda não vai ser brincadeira, de 500-750 para cima se for num sitio mais ou menos bom, 1500 se for num sitio realmente bom.

 No.575

abre uma mercearia ou café com cenas brasileiras mas é

 No.576

É melhor uma cidade pequena. Cidades grandes há mais pessoas mas mais concorrência.

O meu conselho seria Faro. Na baixa de Faro ou assim. Ou no Algarve em geral. Para além de ser turístico também, o clima é mais idêntico com o do Brasil.

 No.577

>>567

Aconselho uma cidade pequena e com turismo a crescer. Ainda melhor se venderes coisas diferentes (= brasileiras).

Exeplos: cidades do Algarve, Évora, Aveiro, Braga, Viana do Castelo, Viseu.

 No.591

Abrir um estabelecimento com esse marketing de produtos brasileiros não iria afastar os possíveis cliente portugueses?

 No.592

>>591
>Ptchan não é Portugal

 No.593

>>592
O que quer dizer com isso? Todos os portugueses não sentem asco do Brasil e de brasileiros?

 No.599

>>593

Não sentem, pelo menos aparentemente. Os tugas são bem na deles, mas são muito legais e respeitadores. Falo isso como brasileiro morando em Portugal.

 No.600

>>593
Mas permita-me completar. Não afastar não quer dizer atrair. Caso você abra algo que venda coisas tipicamente brasileiras, espere que 95% dos seus clientes sejam brasileiros residentes (ou turistas).

 No.602

Quanto custa abrir um pequeno negócio em Portugal?

 No.603

>>602
Depende onde e o que queiras abrir.
Os custos do arrendamento variam muito, os custos de um "negocio" idem.

-qual o capital de investimento e de reserva disponíveis?
-tens as apetências e os conhecimentos requeridos para esse "negocio"?
-qual o preço médio por m2 de espaço comercial nas zonas que estás interessado
-qual é o "negocio", envolve distribuição, vendas, serviços?
-quais as sinergias e as logísticas que são necessárias com fornecedores
-que custos fixos tem o "negocio" para alem da renda e da mercadoria(a haver)?
-o "negocio" requer empregados?, se sim quantos? são a tempo parcial? necessitam qualificações especiais?

Abrir um negocio é uma coisa para ser bem pensada, perder dinheiro é fácil, ganha-lo nem por isso.

 No.797

Loja de produtos brasileiros em Portugal é uma ideia interessante. Os clientes vão ser imigrantes brasileiros e não-portugueses, principalmente europeus que tem pouco contato com a cultura brasileira, acham-a interessante mas tem receio de vir aqui por causa da violência. Fora que é uma "loja étnica" incomum, diferente de lojas turcas e indianas que tem aos montes.

 No.798

>asq não tenho uma mercearia com produtos brasileiros à porta de casa
porquê viver, anons ?

 No.799

> ou bar
sabes que já estamos saturados de barzinhos de funk e merdas parecidas, não sabes?
mas uma mercearia ia bem

 No.812

>>799
Realmente existem bares que tocam funk ai em Portugal? parece que não é apenas o Brasil que está se tornando um antro de degeneração

 No.864

Op aqui, percebi que não compensa montar um negócio em Portugal, existe muita burocracia, muitas taxas e muita concorrência, o que basicamente significa que eu teria as mesmas barreiras que eu tenho no Brasil, alem de outros empecilhos como ser mais caro e eu não ter credito em Portugal. Por incrível que pareça é mais fácil enriquecer no Brasil, temos uma cultura bem mais consumista o que faz com que as pessoas gastem aquilo que não tem para impressionar quem eles não gostam e é nesse cenário que eu vejo a possibilidade de vender produtos de nicho, me diferenciar da concorrência e atrair um publico alvo mais abastado. De acordo com a minha percepção os portugueses parecem ser bem low profile, não se importam em andar com o carro do ano ou roupas de marca, vão ao supermercado e compram marca branca, o carro pode ter 20 anos de uso mas se estiver andando não veem necessidade de trocar, enfim isso é o pesadelo de qualquer empreendedor. Já aqui no Brasil parcelam carros em 60 vezes mas não andam a pé ou de transporte publico, pagam 3 vezes mais caro em uma camiseta de marca mas não deixam de usar grifes famosas, justamente por serem mais burros são um publico alvo fácil.

 No.865

>>864
Há muitas pessoas que vêem o país de uma forma completamente oposta a essa. Eu sou uma delas. Mas digo-te já isto: onde eu moro não conheço nenhuma loja brasileira. Há dias abriu uma asiática e é bastante conhecida entre os jovens agora. Talvez com uma brasileira também pudesse ser assim.

Em todo o caso, tenho dúvidas que alguém fosse a uma loja brasileira para mostrar posses.

A cidade é o Funchal

 No.866

File: 1525542271205.jpg (55.03 KB, 600x600, sementes-funcho-erva-doce-….jpg) ImgOps Exif Google

>>865
>ondt quando um mouro chega a uma ilha e decide começar a cultivar ervas aromáticas.

 No.867

>>865
Acho que tu não tens bem noção. O Funchal é uma das cidades mais ricas e densamente populadas do País e é uma cidade particularmente cara. Se alguma vez o meme da sobrepopulação teve algum mérito é em relação à Madeira (basta ver o custo de vida do sítio associado duplamente à insularidade e à densidade populacional). O Zuca deste fio fez um estudo de mercado bastante cauteloso e chegou à conclusão fundamental de que o risco é demasiado elevado, o Português é forreta demais e geralmente não se despende em frivolidades. O teu conselho parece ser na óptica de um jovem visto que eles tendem a privilegiar popularidade e novidade (não são propriamente o público-alvo de mercearias).

>Mas digo-te já isto: onde eu moro não conheço nenhuma loja brasileira.

Não me digas que na tua terra não se vende caipirinha no Porto Novo ou que não tens brasileiros a amassar o caralhinho no Rei na Poncha. O que não faltam são Brasileiros e negócios de Brasileiros na Madeira.

 No.868

>>867
>O Funchal é uma das cidades mais ricas e densamente populadas do País e é uma cidade particularmente cara.
Estás a dizer isto para quê?


>Se alguma vez o meme da sobrepopulação teve algum mérito é em relação à Madeira (basta ver o custo de vida do sítio associado duplamente à insularidade e à densidade populacional).

Hã?


>O Zuca deste fio fez um estudo de mercado bastante cauteloso

>Dá só indícios de perceções
>Estudo de mercado cauteloso
Deves estar a gozar comigo
Claramente não dá ideia de ter sido um estudo cauteloso. Pelo menos, por aquilo que diz. Sé o fez ou não é diferente e é impossível saber.



Não me digas que na tua terra não se vende caipirinha no Porto Novo ou que não tens brasileiros a amassar o caralhinho no Rei na Poncha. O que não faltam são Brasileiros e negócios de Brasileiros na Madeira.
Não entendeste mesmo patavina do que eu disse. Eu estava a falar de UMA LOJA BRASILEIRA COM PRODUTOS BRASILEIROS, como o OP pretendia. Agora vires-me com merdas dessas. Algum dia que o brazuca que trabalha a vender poncha ou que tem um restaurante brasileiro é uma mercearia brasileira?
Olha que sinceramente

 No.869

>>868
>Estás a dizer isto para quê?
Porque interessa-te saber estas coisas se vais montar um negócio. Há muita concentração de riqueza no Funchal, logo se queres abrir loja tens que ter em conta o facto de que o Funchal é a 2.ª região mais cara a nível imobiliário do País, atrás apenas de Lisboa, e que tens custos extra de reabastecimento associados à insularidade.

>Hã?

Hãbúrger. Analisa a demografia da ilha e diz-me a que conclusão chegas. Sobrepopulaçao é um problema real na Madeira especialmente quando o Governo Regional insiste no desenvolvimento de uma economia de serviços que é incompatível com a realidade geográfica e demográfica do sítio. E ainda têm o descaramento de abanar a bandeirinha da autonomia.

>Claramente não dá ideia de ter sido um estudo cauteloso. Pelo menos, por aquilo que diz. Sé o fez ou não é diferente e é impossível saber.

Pois sim, mas percepção é fundamental. E quando num sítio novo só vês à tua volta carros meios rotos ou gente vestida humildemente, não é uma conclusão incorrecta de que este não será, se calhar, um bom sítio para se começar um negócio. Não precisas necessariamente de encomendar estudos de mercado quando tens olhos e bom instinto, isso geralmente só é importante quando procuras financiamento.

>Não entendeste mesmo patavina do que eu disse.

É possível. Onde é essa mercearia asiática que falas? Jovens não costumam ter interesse nessas coisas. Atrás da Francisco Franco há uma merceariazinha sempre cheia de velhos a tomar café, esse é o tipo de consumidor que eu imagino que o OP queira pois são os velhos onde se concentra mais a riqueza (que agora se desloca para Geração Rasca que já são quarentões). E é como te disse, jovens procuram novidade, não sei até que ponto um nicho de mercado como o que o OP sugere alguma vez se desenvolveria num negócio sério num lugar como a ilha da Madeira.

 No.880

pega nos 20 mil, aluga dois ou tres apartamentos e trás umas putas daí. acredita que ganhas mais do que com uma mercearia



[Return][Go to top] [Catalog] [Post a Reply]
Delete Post [ ]
[ * ] [ c / des / n / t / u ] [ int / luso ] [ b / con / pol / xxx ] [ meta ] [ info / regras / notícias / https / git ]