[ * ] [ c / des / n / t / u ] [ int / luso ] [ b / con / pol / xxx ] [ meta ] [ info / regras / notícias / https / git ]

/con/ - Consultório

e Conselhos
Name
Email
Subject
Comment
File
Embed
Password(For file deletion.)

Allowed file types: jpg, jpeg, bmp, gif, png, webm
Max filesize: 10 MB.
Max dimensions: 10000 x 10000.


File: 1527860443557.jpg (6.96 KB, 250x223, 1527855676477.jpg) ImgOps Exif Google

 No.1833

Manos, terei algum problema?

Não me consigo ligar as pessoas, sempre que tento sinto-me impotente, que estou a forçar algo em mim, ou que simplesmente as pessoas não gostam de mim e não sou "merecedor" da sua amizade/atenção.

Depois há o problema de interesses. No oceano de chads e potas muito raramente encontro alguém com quem consiga fazer click. É tudo degenerados sem noção e pessoal completamente egoísta. Gostam é de bebedeiras (que também gosto, com moderação) e de serem potas e os gajos de comerem tudo o que mexe.

Não me acho um santo, longe disso, mas cada vez mais sinto um desprezo por todos aqueles que me rodeiam, não é indiferença, é mesmo desprezo. Sei que grande parte do problema é meu mas mesmo assim. Um gajo conhece mesmo muito lixo na universidade. Parece cada vez pior.

Não sei, ando frustrado com a vida. Não sei se a universidade é sempre assim. Sinto que não atingi nada na vida. Não sou particularmente bom a nada, não tenho amigos excepto uma ou 2 pessoas com quem falo esporadicamente, tenho namorada mas sempre me imaginei com outra pessoa, não tenho "familia", não do ponto de vista de ter sido abandonado mas não tenho nenhuma ligação por ai alem, pelo menos que consiga apaziguar esta solidão.

Não sou feliz, cada vez mais vejo isso, sempre pensei que fosse uma coisa passageira, que ia passar e ia conseguir ter um grupo de amigos de quem gostava e ir beber umas ao fim de semana, uma namorada que estivesse la para mim e fosse querida, um emprego gratificante, nem digo do ponto de vista do dinheiro mas algo que me sentisse bem a fazer. Mas as coisas estão cada vez piores manos. Não vejo fim disto passar. O pior de tudo é que sei que o único factor constante nisto sou eu. Mas não sei que fazer.

Neste momento nada me prende a portugal, as vezes gosto de pensar que o problema é o pais. Só ainda nao fui embora porque me falta acabar o curso mas depois disso sinceramente nada me prende cá. Um oceano de más memorias com o ocasional momento feliz mas passageiro. Nunca procurei ajuda profissional mas gostava muito de sair deste buraco constante. Alguém numa situação semelhante?

 No.1835

Olha mano, vou te ser sincero.
Entraste há pouco para a faculdade, não foi?
O que estás a sentir é normal, provavelmente conheces pessoas que estão a passar pelo mesmo, mas têm uma fachada de "está tudo a correr super bem e sou super feliz".

Não te concentres nisso, faz por acabar o curso e por ir conhecendo pessoal de outros grupos, sítios e faculdade.
Inscreve no erasmus.
Dá graças pelo que tens e boa sorte.

 No.1837

Estive numa situação semelhante à tua, estava farto de amigos conas, elitistas e interesseiros.
Saí de Portugal e não podia ter tomado melhor decisão, conheci montes de pessoas bacanas com quem fiz boas amizades e por quem trocava 95% dos meus "amigos" atuais num piscar de olhos. Aconselho-te fortemente a fazeres o mesmo e caso encontres alguma felicidade, não cometas o erro de voltar a Portugal por saudades ou nostalgia.

 No.1838

>>1837
qual é a diferença das pessoas? a unica coisa que eu consigo ver é apenas diferentes etnias, se tiveres interessado em pessoas com olhos azuis é normal que lá fora haja mais, mas em termos de personalidade não estou mesmo a ver as diferenças

 No.1839

>>1838
O que muda principalmente és tu. Indo para um país estrangeiro onde não conheças ninguém ficas muito mais aberto a novas amizades e muito menos julgador dos outros.
Eu quando fui também desprezava a maior parte das pessoas que conhecia e não fazia click com ninguém, mas quando me apanhei no estrangeiro sozinho, algo em mim mudou e comecei a estabelecer relações com pessoas que provavelmente iria desprezar em Portugal, sem fazer qualquer tipo de esforço. Claro que a maior parte destas pessoas estava na mesma situação que eu (sozinhos), o que ajudou.

 No.1842

>>1839
Não quero desconsiderar as tuas experiências nem tão pouco invalidar o conselho que prestaste ao OP neste fio, mas parece-me que estás a confundir mudanças psicológicas que ocorreram na tua cabeça por motivos de sobrevivência com algum género de sabedoria iluminada. Julgar as pessoas é mau, sim, mas forçar ligações porque é isso que se espera de ti é se calhar uma tontice ainda maior.

 No.1844

>>1842

OP aqui. Qual é a troca? Solidão? Eu admito que grande parte do problema sou eu. Pelo menos vejo nessa óptica. Não digo forçar ligações mas abrir horizontes se calhar? Eu quero mesmo sair daqui. Não há muita coisa que me faça feliz por Portugal

 No.1848

>>1842
Mas o ponto é que eu não forcei ligações nenhumas, comecei simplesmente a gostar de pessoas que teria provavelmente desprezado se as tivesse conhecido anteriormente.

Talvez o meu post inicial tenha dado a entender que o estrangeiros são melhores que os tugas, quando na verdade só queria dizer que eram melhores que os meus amigos.

Em suma: sair do país mudou-me, deixou-me mais aberto, menos julgador e menos inibido. As pessoas que conheci também estavam abertas a fazer amizades porque também estavam deslocadas dos seus países e não tinham o seu grupo de amigos presente. Estes dois factos fizeram com que travasse boas amizades muito facilmente.

>>1844
Apesar do que te disse, aconselho-te seriamente a não teres grandes expectativas e de simplesmente te deixares ir com a corrente (caso saias do país).

 No.1867

>>1848

Vou trabalhar para isso. Obrigado

 No.1868

>>1844
É claro que o problema és tu, em 90% das situações o problema somos nós. Não duvido que saíres do País fosse te ajudar apenas digo que essa é apenas a volta grande para solucionares o problema. Tu tens presença de espírito suficiente para identificar a causa do problema portanto começa por colmatá-lo. Digo-te que não é correndo atrás de um síndrome de Las Vegas que irás curar-te, é muito natural que sítios novos e potencialmente hostis tenham em nós uma capacidade transformativa mas acho que não é bem isso que tu queres. Se precisares de falar sobre as tuas merdas, a malta do /con/ está aqui para te ouvir e para te ajudar. Solidão é aquela merda fodida que papa-te o espírito trinca a trinca, não subestimes a gravidade do teu problema, apenas advirto-te para não caíres no engano de achares que existe uma panaceia mágica para isso. Se dizes que o problema és tu (e provavelmente tens razão), tens que mudar ou morrer, rapagão.

>>1848
>Talvez o meu post inicial tenha dado a entender que o estrangeiros são melhores que os tugas, quando na verdade só queria dizer que eram melhores que os meus amigos.
Realmente fiquei com essa impressão, sim. Mas o que quis mesmo dizer é que não é só mudando de ares que o OP fica melhor, todavia já o clarificaste na tua posta. Fico contente por ler que as tuas experiências mudaram-te para melhor, anão. Oxalá algo igualmente positivo aconteça ao OP.



[Return][Go to top] [Catalog] [Post a Reply]
Delete Post [ ]
[ * ] [ c / des / n / t / u ] [ int / luso ] [ b / con / pol / xxx ] [ meta ] [ info / regras / notícias / https / git ]