[ * ] [ c / des / n / t / u ] [ int / luso ] [ b / con / pol / xxx ] [ meta ] [ doar / info / regras / notícias / https / git ]

/con/ - Consultório

e Conselhos
Name
Email
Subject
Comment
File
Embed
Password(For file deletion.)

Allowed file types: jpg, jpeg, bmp, gif, png, webm
Max filesize: 10 MB.
Max dimensions: 10000 x 10000.


File: 1507326920140.jpg (29.07 KB, 640x480, sad-pepe-640x480.jpg) ImgOps Exif Google

 No.1213

>ser eu
>19, na uni
>6/10 max
>virginio em tudo até de beijo
>pressão da mãe para arranjar fofinha
>até saio de casa frequentemente
>average dude das engenharias que joga pc e é nerd pa caralho

Anões quero ajuda, dicas ou assim, para arranjar uma fofinha. Já tento nas festas. E ter amigas de longa data ou mais próximas não tá a ajudar.

 No.1214

Estamos na mesma situação, só que eu tenho 18 anos. Estamos fodidos,colega. Ao menos tive sorte de ter andado aos beijos e apalpões há uns anos.

Também quero fofinha :'(

 No.1215

>>1214
OP aqui,
Eu até ajudei uma grande amiga minha, amiga desde o 9 ano, a passar por uma fase dificil com o ex-namorado à 1 ano e tive nada, quase nao me fala hoje, tenho que meter sempre conversa

 No.1216

>>1215
C'est la vie, colega. Temos de continuar a tentar e não desistir. Eu sou amigo de dezenas de raparigas mas, infelizmente, nunca tentei ser mais que um amigo. Problemas de auto-estima, esparguete da mãe e tudo isso.

Porque é que achas que não consegues arranjar fofinha?

 No.1217

>>1215

Kek

Nao entendo esta pressao das maes. Se fosse comigo mandava a meter se na vida dela.

 No.1218

>>1217
Não sou o OP, mas a minha está sempre a perguntar-me quando é que trago uma rapariga a casa.

>já me disse duas ou três vezes "filho gostarei sempre de ti mesmo que fosses gay"

O-obrigado mãe

Kill me

 No.1219

>>1216
Nao sei ao certo colega, tenho algumas coisas que desconfio.
1º acho que tenho padrões altos em termos intelectuais e mentais, mas nao tanto em termos fisicos, só quero uma fofinha inteligente e que goste do mesmo que eu e que nao seja um oferecida mas de corpo só precisa de ser magra e um 5/10;
2º acho que tmb é por ser um pouco autista, as coisas que eu gosto penso que são instante turn offs para as raparigas e nao sei o que falar com elas.

 No.1220

>>1218
Estou a ver as minhas conversas à mesa no jantar com a minha mãe todas outra vez kek.
OP

 No.1222

>>1219
Estás como eu então. Não gosto de festas nem quero uma gaja que viva para festa, mas aí já excluí metade das jovens portuguesas. E a outra metade ou está inacessível (porque são autistas como nós e não se mostram) ou já estão com alguém. E eu que nem sou autista na vida real, dou-me bem com as pessoas e comunico na perfeição, tenho amigos e amigas, e mesmo assim vejo-me fodido para dar o primeiro passo. Ainda por cima sou desconfiado como tudo, custa-me ter confiança nas pessoas.

 No.1223

File: 1507397494702.jpg (80.47 KB, 645x773, 1494312917750.jpg) ImgOps Exif Google

Os meus pais já nem perguntam nada. Acho que já desistiram.

 No.1224

File: 1507407028823.jpg (29.54 KB, 500x359, 1307985418001.jpg) ImgOps Exif Google

>>1223
Contai-nos a tua história, ó danone desafortunado!

 No.1225

>>1213
Tens de escolher a fofinha que tu queres para ti. Não podes esperar que elas venham ir ter contigo ou tu dar trela a todas(vai parecer que andas desesperado). Os passos são simples não sei porque complicam isto ainda continuam com mentalidade de secundário só pode…

>Escolhe a fofinha(muito importante)

>Aproxima-te e conversa com ela, não tenhas medo de a contradizer e discutires as tuas opiniões
>Ganha confiança com ela mantendo uma certa distancia/misticismo
>Certo dia quando "sentires" a fluidez natural da vossa conversa ou interesse da rapariga convida-a para um café/jantar(preferência de noite)
>Aproveita e leva-a a casa e tenta a tua sorte(aproxima-te, agarra as mãos dela, beija-a…)
A partir daqui as coisas vão fluindo, se estiverem num ambiente nocturno tudo acontece mais rápido como é óbvio(por vezes tudo numa noite), aproveitem o efeito do álcool para se desinibirem mais facilmente

Protip: Contacto visual é extremamente importante e inspira confiança nas mulheres, ou podem perfeitamente captar o desinteresse nelas através dele… Como diz o ditado: Um olhar vale mais do que mil palavras.

 No.1226

File: 1507432383485.jpg (4.7 KB, 250x247, 1500175597875.jpg) ImgOps Exif Google

>>1225
Fds, faço todos os passos ao contrário. Se calhar é por isso que nunca tive nenhuma e sou virgem.

>Não podes esperar que elas venham ir ter contigo

É o que faço mesmo quando vou engatar para a noite. Espero sempre que sejam elas a darem o primeiro move. Já me aconteceu, mas é óbvio que grande parte das noites sou dormir com a palmira.

>Aproxima-te e conversa com ela, não tenhas medo de a contradizer e discutires as tuas opiniões

Mantenho-me o mais longe possível. Tento meter conversa pela net mas acabo sempre por parecer autista. Quando converso com elas pessoalmente são sempre elas a meter conversa.

>Ganha confiança com ela mantendo uma certa distancia/misticismo

Nem confiança em mim tenho.

>Certo dia quando "sentires" a fluidez natural da vossa conversa ou interesse da rapariga convida-a para um café/jantar(preferência de noite)

Nunca convidei ninguém para um café/jantar, tenho sempre medo de estar a ler mal os sinais.

>Aproveita e leva-a a casa e tenta a tua sorte(aproxima-te, agarra as mãos dela, beija-a…)

Outra merda que não fazia. Conhecendo-me muito bem, provavelmente despedia-me com dois beijos e íamos cada um para sua casa, só para não parecer muito desesperado ou porque podia estar a ler mal os sinais.

>aproveitem o efeito do álcool para se desinibirem mais facilmente

A única diferença com o alcool é que falo mais com elas, mas continuo a não ter coragem nem a saber como se passa para o passo seguinte (comer).

>Contacto visual é extremamente importante

Cada vez que faço contacto visual com alguma rapariga, entro em pânico, começo a suar, o coração começa a bater muito rápido, começo a não pensar em nada e viro imediatamente o olhar para outra direcção. Se vejo que vem alguma gaja boa de frente, olho para o chão ou para o lado ou tlm.

Eu sei que provavelmente há mais pessoas com os mesmo problemas que eu. É muito mau ser assim, é veres que gajos obviamente mais feios ou sem preparação física a comerem gajas e tu a olhar.

Obrigado pelas dicas mano, ajudaram muito!

 No.1227

>>1226
nesse caso aconselho o suicinho, não há muito a fazer porque tu tens medo de ficar mal mas realmente ninguém quer saber nem provavelmente a gaja a quem estas a pedir para sair
Mata-te, grava e posta o vídeo no chano, Cumps

 No.1228

File: 1507462520565.png (42.28 KB, 846x592, 1395946834231.png) ImgOps Google

>>1225
Como é que eu ultrapasso a barreira mental de passar de "apenas amigos" para "mais que amigos"?

>>Aproxima-te e conversa com ela, não tenhas medo de a contradizer e discutires as tuas opiniões

Faço isto com toda a gente.

>>Ganha confiança com ela mantendo uma certa distancia/misticismo

O que queres dizer com misticismo? Eu não costumo falar com ninguém acerca da minha vida pessoal nem dou muita trela às pessoas, isso conta?

>>Aproveita e leva-a a casa e tenta a tua sorte(aproxima-te, agarra as mãos dela, beija-a…)

Como é que eu faço isto se vivo num apartamento com outros estudantes? Nem sala há! E é mesmo isso que tenho de fazer? Simplesmente agarrá-la e beijá-la? Não vai ela gritar "estupro!" ou afastar-se enojada?

>Contacto visual é extremamente importante e inspira confiança nas mulheres

Eu faço isso sempre e mesmo assim não tenho fofinha.

Eu sou uma espécie de fingidor; sou um membro da sociedade perfeitamente ajustado no que toca a situações em público e em grupo, mas para querer levar as coisas mais além com uma rapariga fico horrorizado e à deriva.

 No.1229

>>1228

>Faço isto com toda a gente.

Isso já é meio caminho andado. Há quem as coloque num pedestal ou só por serem gajas sentem-se intimidados e não conseguem conversar normalmente.

>Eu não costumo falar com ninguém acerca da minha vida pessoal nem dou muita trela às pessoas

Sim é mais ou menos isso não te abras logo com tudo, primeiro ouve, ouve e ouve só depois fala, as gajas gostam de bons ouvintes.

>Como é que eu faço isto se vivo num apartamento com outros estudantes? Nem sala há!

>Não ter um espaço só seu, privado
Nem um quarto individual tens? Estas um bocado fudido amigo para ser sincero. Vai para um sítio calmo com ela, sem ninguém. Puxa pela cabeça.

>Não vai ela gritar "estupro!" ou afastar-se enojada?

Pelo menos tentaste, não te preocupes que não vais preso por beijares uma gaja. Gajas há muitas, por vezes as coisas não acontecem como planeado, aprende com a situação e siga a próxima.

>Eu faço isso sempre(contacto visual) e mesmo assim não tenho fofinha.

Maninho tens de perceber como ela se sente e não há nada melhor do que olhar nos olhos de uma pessoa para saberes isso mesmo. Mexe muito o cabelo? Tem algum tic quando fala contigo? Ri-se das tuas piadas sem ter qualquer sentido? Retorna um sorriso teu? Então são altas as chances de ela estar minimamente interessada em ti.

Nota: Se estas na uni tenta procurar gajas de outros cursos, desconhecidas. Será tudo mais fácil porque ela não tem nenhuma informação acerca de ti e torna este processo muito mais natural.
Isto tudo é baseado na minha experiência com gajas(que não é muita sinceramente, não sou um casanova mas safo-me) certamente outros danones devem ter mais coisas para te dizer.

 No.1230

>>1228
>>1229
>Como é que eu ultrapasso a barreira mental de passar de "apenas amigos" para "mais que amigos"?
Pela abordagem que fazes com ela, depois é difícil mudar as coisas. +tempo = pior Tenta marcar um encontro só a dois o mais rápido possível.

 No.1231

>>1229
>Nem um quarto individual tens?
Tenho, mas a casa está praticamente sempre ocupada. Até aos fins de semana. Só o meu quarto é que é o meu santuário, e mesmo assim é pequeno.

>Vai para um sítio calmo com ela, sem ninguém. Puxa pela cabeça.

Dá-me ideias, por favor. Parques? Centro comercial?

> Retorna um sorriso teu? Então são altas as chances de ela estar minimamente interessada em ti.

A que eu estou a "considerar" fez isto: conhecemo-nos no primeiro dia de aulas. Falámos um bocado sobre gostos musicais, das nossas cidades, dos nossos hobbies, etc. Depois eu entrei na sala, sentei-me lá no fundo mas ela não viu e sentou-se do lado oposto. Eu olhei para ela e fiz um gesto com a cabeça de tipo "então, como é que é?" e ela sorriu e foi ter comigo e sentou-se ao meu lado. Depois da aula falámos mais um bocado e no final adicionei-a no Facebook. No dia seguinte almocei com ela na cantina e no dia a seguir a esse, na primeira aula, estava eu já sentado e ela chegou um pouco atrasada, ia para sentar-se numa mesa um pouco longe, mas depois reparou que eu estava lá e sentou-se ao meu lado e a gente fez chit chat enquanto ajudava-mos a fazer os exercícios.

Ora, so far so good. Mas depois começa o meu autismo a bater: vou ver o Facebook dela, muitos mais amigos que eu, fotos de galas e sociais (nada de fotos de bebedeira ou coisa do género, porém) – ora, isso assusta-me porque eu não sou nada dado a galas, festas, eventos com muita gente, etc.

Por um lado digo na minha cabeça "Foda-se caralho deixa de ser cona de uma vez por todas e age, faz algo!" mas depois tenho outra que diz "Não faças nada, vais desiludir-te, vais ter de andar sempre em cima dela, vais fazer merda de algum modo, estás a ler mal a cena, etc."

>Tenta marcar um encontro só a dois o mais rápido possível.

Ela antes do fim de semana disse-me "se vir alguma cena fixe para fazer aviso-te" mas não chegou a ligar-me. É ela a dizer-me que quer que seja eu a tomar iniciativa?

Ajudem-me danones.

 No.1232

>>1226

>Cada vez que faço contacto visual com alguma rapariga, entro em pânico, começo a suar, o coração começa a bater muito rápido, começo a não pensar em nada e viro imediatamente o olhar para outra direcção. Se vejo que vem alguma gaja boa de frente, olho para o chão ou para o lado ou tlm.


É o que dá quando a tua autoestima depende das gajas.

Elas cheiram o medo como os cães e há gajas que usando esse medo podem usar-te só para massajar o ego. Acho que antes de te meteres num relacionamento devias ultrapassar esse medo. Tenta perceber de onde ele vem, talvez isso te ajude a combater essa insegurança.

Devo frisar que uma pessoa não se deve envolver num relacionamento e esperar que a outra pessoa e/ou o relacionamento lhe tragam a autoestima porque isso dá mau resultado, deve ser sim o contrário. A não ser que o teu objetivo seja só dar umas quecas ou o que for. Isto porque se for esse o caso só tens de te armar em garanhão de vez em quando quando estás com ela, num relacionamento torna-se impossível fingir sempre.

>Ganha confiança com ela mantendo uma certa distancia/misticismo


O que o outro danone quis dizer com "misticismo" foi (penso eu) projetar uma certa "aura" de mistério, não te revelares demasiado à gaja, deixa-a pensar. Estás a entender? Dá uma certa distancia e projeta um certo estoicismo e as pessoas vão achar que há algo de "superior" ou "misterioso" sobre ti.

>>1231

>Ela antes do fim de semana disse-me "se vir alguma cena fixe para fazer aviso-te" mas não chegou a ligar-me. É ela a dizer-me que quer que seja eu a tomar iniciativa?


Provavelmente não está interessada. Digo eu.

 No.1233

>>1232
>Provavelmente não está interessada. Digo eu.
Pois, se calhar… É que só mesmo nos últimos dois anos é que aprendi isto de "ler" se está interessada ou não. Nunca antes tinha ligado a cenas destas. Achas que faço bem se a convidar para ir ver um filme e tentar à mesma?

 No.1234

>>1233

>Achas que faço bem se a convidar para ir ver um filme e tentar à mesma?


Hmm talvez não.

Faz o seguinte: deixa de falar com ela, passa a ignorá-la e tenta com outra rapariga. Vais cometendo erros, é normal, e sempre que correr mal com uma gaja tenta com outra. Eventualmente hás-de conseguir e quando conseguires, as outras com que falhaste e que se habituaram a ter a tua massagem do ego vão perguntar-se porquê que já não lhes ligas e achar que são elas que não são tão boas como pensavam e vão começar a andar mais atrás de ti (provavelmente).

Vai passo a passo. Primeiro tenta a conversa, quando cometeres erros faz o que te disse acima, e assim sucessivamente.

 No.1235

File: 1507477059648.png (65.81 KB, 1480x832, feelsgoodman.png) ImgOps Google

>>1234
>Faz o seguinte: deixa de falar com ela, passa a ignorá-la e tenta com outra rapariga.
Isso não é um bocado agressivo? Eu nunca faço isso com ninguém. Percebo o que queres dizer – dar-lhe a entender que não é a última bolacha do pacote, mas neste caso é literalmente a única rapariga do curso que eu conheço. Ainda não tive a oportunidade de falar com muitas mais. E para além disso: quando eu falei com ela durante a semana descobrimos que temos vários interesses em comum. Estaria a rejeitar uma moça que partilha os meus interesses por uma hipótese futura ainda inexistente.

Acho que vou ganhar tomates e convidá-la ao cinema ou ir a um museu qualquer esta semana e ver como correm as cenas. Nada de moves agressivos, só conversa e café, andar por aí, etc.

Já agora, se a convidar para fazer um programa, é suposto ser eu a pagar tudo?

Aconteça o que acontecer, vou sempre manter aquela atitude de distanciamento qb, de forma a não sofrer nenhum desgosto mais à frente.

 No.1236

>>1235

>Isso não é um bocado agressivo? Eu nunca faço isso com ninguém. Percebo o que queres dizer – dar-lhe a entender que não é a última bolacha do pacote, mas neste caso é literalmente a única rapariga do curso que eu conheço. Ainda não tive a oportunidade de falar com muitas mais. E para além disso: quando eu falei com ela durante a semana descobrimos que temos vários interesses em comum. Estaria a rejeitar uma moça que partilha os meus interesses por uma hipótese futura ainda inexistente.


É exatamente esse o teu problema: tu trata-la como se fosse a última bolacha do pacote. Ao continuares a tratá-la como tal ela só te vai ignorar. Repara: pelo que contaste és sempre tu que inicias a conversa. Percebes? Continuares a falar com ela assim não te vai levar a lado nenhum.

Mesmo que ela partilhe dos teus interesse não quer dizer que sejam compatíveis como pessoas. Pensa nisso. Estás em que curso já agora?

Quando digo ignorar não digo que a desprezes completamente, apenas digo não inicies nenhuma interação ou conversa com ela e espera que ela o faça. Aí conversa normalmente com ela mas sem dar demasiada atenção.

>Acho que vou ganhar tomates e convidá-la ao cinema ou ir a um museu qualquer esta semana e ver como correm as cenas. Nada de moves agressivos, só conversa e café, andar por aí, etc.


Não faças isso já, segue o conselho que te dei e se ela começar a iniciar conversa contigo, aí convida-a. Pelo que contaste vocês ainda mal se conhecem.


>Já agora, se a convidar para fazer um programa, é suposto ser eu a pagar tudo?


Não, cada um paga o seu. E o que for para os dois é pago a meias. Se ela reclamar dá-lhe um chuto no cu (não literalmente) por estamos no século XXI.

>Aconteça o que acontecer, vou sempre manter aquela atitude de distanciamento qb, de forma a não sofrer nenhum desgosto mais à frente.


Sim, fazes bem.

 No.1237

>>1236
>Repara: pelo que contaste és sempre tu que inicias a conversa.
Não é bem assim, a gente passou a semana juntos, almoçar no refeitório, etc. Nunca houve uma conversa "iniciada" do tipo ela estar a na sua e eu chego lá a meter conversa. Foi tudo muito espontâneo e natural.

>Estás em que curso já agora?

Economia, isso é relevante?

>Pelo que contaste vocês ainda mal se conhecem.

Bem, de facto só nos conhecemos há uma semana, mas desde aí já sabemos os gostos musicais que temos, aparentemente somos da mesma cidade, falámos dos sítios em que estamos a morar, o que queremos fazer depois da uni, etc. Nada íntimo ou pessoal, só basic shit, percebes?

Bem, sendo assim vou ver como corre esta semana. E vou ficar atento para se, de facto, é ela que interage comigo ou se sou eu a puxar por ela. Depois conforme o resultado vou pensar no plano de acção. Se vir que não vai haver nada, nada feito. Sigo em frente.

Obrigado pelos conselhos já agora, danone.

 No.1239

>>1225
OP aqui,
Obrigadão m8 talvez tente as tuas dicas.
Louvado sejas

 No.1240

File: 1507558708275.jpg (220.42 KB, 1200x900, 1507381013507.jpg) ImgOps Exif Google

>mcq já comecei o curso há mais de uma semana e ainda não conheço ninguém ao ponto de dizer que somos amigos
>mcq há várias fofinhas na turma
>mcq em relação à faixa etária feminina na turma sou mais velho visto que maior parte tem 18-19 anos
>mcq já quase toda a gente arranjou alguém ou um grupo com quem simpatizar/passar tempo
>mcq só conheço o gajo com quem divido o quarto e um gajo da turquia que também anda no campus
>mcq tou sempre sozinho a falar com amigos através da internet e a dar browse nos chans

acho que já falhei manos não sou gajo de desesperar mas tenho receio que já tou titulado como forever alone, ainda cumprimento algum pessoal da turma e vice-versa o tal bom-dia e até amanhã mas não consigo falar com ninguém, também não considero isto como caso para cometer sudoku, sempre tenho cá algum pessoal da terra com quem posso passar o tempo de vez em quando. acho que já me habituei à ideia de andar sozinho também graças a alguns estágios que fiz no passado onde andava sempre sozinho, de certa forma não estou triste mas ainda dói quando toda a gente menos eu tem alguém com quem passar o tempo.

ainda por cima hoje há um jantar para a receção às novas turmas e eu provavelmente vou apanhar a bebedeira sozinho.

 No.1241

>>1240
Qual é a puta da dificuldade de te aproximares de alguém e dares um handshake crl? Especialmente em contexto de festas. Até os erasmus, que estão num ambiente que não conhecem, os instintos todos fodidos, aproxiamas-te de um/uma e automaticamente são teus amigos. É literalmente a coisa mais fácil de fazer. Ganha tomates.

 No.1242

>>1240
Vai para as praxes, idiota. É impossível não te inserires ali, é tipo tutorial para a socialização para autistas imberbes.
Ainda, se és daqueles putos flor de estufa que não bebe nem fuma e é o filho dos papas que toda a gente queria ter então esquece isso tudo e sai à noite e apanha uma grande borracheira. Vais ver que conheces muita gente, agora não sejas estúpido ao ponto de tornar isso hábito. Cresce, a vida não é fácil nem é uma história da Disney.

>hoje há um jantar para a receção às novas turmas e eu provavelmente vou apanhar a bebedeira sozinho.

Não sei em que crl de universidade andas isso deve ser é jantar de curso, ignorante. Se pertences ao curso vai ao jantar nada te impede de não ir.

 No.1244

>>1240
Olá danone, sou o gajo que postou isto >>1237 porque também quero fofinha. Não sei se entraste em segunda fase ou não, mas aconselho-te a ires às praxes e a meteres conversa de um modo normal. Chega ao pé do pessoal e apresenta-te, pergunta de que curso são. Eles vão estar na mesma situação que tu. Para além disso, quando eu entrei já tinham grupos de trabalho e isso formados, por isso acabei por ficar com os que não tinham grupo e já nos damos bem. Vais ver que com as apresentações de grupo e isso em que fica tudo misturado conheces mais pessoas. Mete-te já no grupo do Facebook da turma e começa a conviver nas aulas. Não é difícil caralho.

Ah e aproveita esse jantar para conheceres gente nova. Junta-te também à AE e a outros clubes que gostes.

Eu já percebi que provavelmente não encontrarei fofinha nenhuma ao longo do curso porque não passo de um robot com uma camada falsa de socialização, mas ao menos tenho amigos.

 No.1246

>>1242

>Vai para as praxes, idiota. É impossível não te inserires ali, é tipo tutorial para a socialização para autistas imberbes.


As praxes "funcionam" porque reduzem todos os idiotas que nelas se inscrevem ao mínimo denominador comum. Se não consegues criar uma certa ligação com as pessoas de forma intelectual ou emocional, as praxes e coisas semelhantes põem todos num ambiente que não seja propício nem a discussões intelectuais, nem a sinceridade nem autenticidade. É apenas o mais superficial da socialização onde reinam superficialismos e onde teres algo em comum com alguém se resume a filmes ou séries que vês, algum desporto e o facto de estarem todos bebados e a rebolarem no chão ou a fazerem figuras de parvos.

O modo de socialização das praxes não é muito diferente do dos bares noturnos: a música está sempre alta para evitar que as pessoas conversem. Assim, só se podem julgar pelo superficial, que não é díficil de fingir para a maior parte das pessoas, e pelo facto de estarem numa situação semelhante, i.e. bêbados.


>>1240

>acho que já falhei manos não sou gajo de desesperar mas tenho receio que já tou titulado como forever alone, ainda cumprimento algum pessoal da turma e vice-versa o tal bom-dia e até amanhã mas não consigo falar com ninguém, também não considero isto como caso para cometer sudoku, sempre tenho cá algum pessoal da terra com quem posso passar o tempo de vez em quando. acho que já me habituei à ideia de andar sozinho também graças a alguns estágios que fiz no passado onde andava sempre sozinho, de certa forma não estou triste mas ainda dói quando toda a gente menos eu tem alguém com quem passar o tempo.


A não ser que eles já te tenham marcado como estranho ou forever alone acho que não estás condenado. Se eles simplesmente não repararam em ti porque dás pouco nas vistas, então não deves ver isso como algo completamente negativo. Obviamente não és muito bom a socializar por isso aproveita essa oportunidade para começar aos poucos em vez de te atirares de cabeça. Começa por meter conversa casual com a pessoa sentada ao teu lado e quando te sentires mais confiante fala com mais pessoas. Não deves é parecer desesperado. Aprende a estar sozinho e arranja algo interessante para fazer enquanto estás sozinho (por exemplo, se estás numa cidade diferente da onde vives explora, ou começa a ler mais, etc…). Quem não sabe estar sozinho também não sabe estar com os outros.

Vê as coisas desta maneira: ao longo da tua vida vais-te encontrar várias vezes sozinho. Se venceres o teu medo de estar sozinho, socializar vai ser mais fácil para ti porque o que cria a tua ansiedade quando socializas é o medo da rejeição, que no fundo é o medo de acabar sozinho. Se não tiveres medo de estar sozinho, ficas mais calmo quando socializas e custa-te menos quando és rejeitado.

>>1244
>Eu já percebi que provavelmente não encontrarei fofinha nenhuma

Um passo de cada vez. Primeiro aprende a fazer amigos, depois logo arranjas fofinha. Se queres uma fofinha a sério essa relação tem de começar numa amizade, e isso não vai acontecer enquanto não souberes fazer amizades.

>porque não passo de um robot com uma camada falsa de socialização


Isso é a maior parte das pessoas, por isso não estás assim tão à margem.

 No.1247

>>1240
Mano, tu tens de falar.

Quando falares vais ver que eles não mordem. Eu percebo o teu receio, eu sou igual, mas qualquer merda serve para falar, vais ver que eles te respondem na boa.

Eu hoje almoço com os meus colegas, estamos sentados no bar juntos a falar, vamos aos shopping, trabalhos de grupo… Pá, somos amigos? Não se pode dizer isso, porque ainda é muito cedo, mas porra eles estão na mesma situação que eu, aqui sozinhos, é natural que nos juntemos todos. Ninguém gosta de estar sozinho.

Um simples "almoçam cá?" e depois juntaste a eles e vais ver que ou te perguntam alguma coisa ou surge um assunto que te interesse e podes entrar na conversa. Praxes ainda nunca fui.

Ainda agora uma gaja me perguntou onde era o sítio x e como estava a ir na mesma direcção andei com ela uns metros. Se não fosse autista podia, sei lá, sacar o nº ou coisa do género. Neste contexto qualquer merda trivial serve para iniciar uma conversa e conhecer gente agora tu também tens de fazer um esforço, eu tenho na minha turma uma rapariga mais ou menos como tu, que anda sempre sozinha quando podia juntar-se a nós sem problemas. Não é a questão de ser minha (nossa) amiga mas sim uma questão de princípios, claro que é complicado estar no sítio novo, especialmente sozinho, e se pudermos facilitar a vida a alguém ao deixá-a andar connosco então é lógico que é isso que fazemos, isto não é o secundário onde mesmo que andes sozinho no liceu depois vais para casa e estás no teu espaço de conforto.

Faz amanha duas semanas que eu fiz as malas e estive super perto de sair daqui e voltar para casa. Hoje em dia isso não me passa pela cabeça. Sou feliz? Tenho amigos? Pá estou normal e amigos é uma palavra muito forte, tenho conhecidos, mas as perspectivas são boas, percebes? Todos os dias falo com gente do meu curso, intervalo entre aulas não estou sozinho, almoço não estou sozinho… Agora é dar o próximo passo com naturalidade. Tu também podes ter isto, junta-te a um dos grupos que falas, de certeza que não te vão mandar para o caralho. E digo-te uma coisa, quanto mais tempo demorares mais difícil para ti vai ser arranjares pessoal com quem estar.

Mas se calhar é mais fácil para mim que estou numa cidade nova e, como tal, tenho uma necessidade maior de falar com pessoas

 No.1248

>>1247

Só por curiosidade, estás em que universidade?

 No.1249

>>1247
Exactamente isto. Um "almoçam cá?" resulta sempre. É mais ou menos isso que eu ando a fazer. Já tenho um grupinho de 5 pessoas com quem possa falar e considerar "amigas." E como já se interage um bocado no Facebook do grupo começamos a estar mais à vontade.

>Mas se calhar é mais fácil para mim que estou numa cidade nova e, como tal, tenho uma necessidade maior de falar com pessoas

Estou na mesma. Estás aonde, anone? Eu, Lisboa.

 No.1250

>>1248
UTAD

>>1249
Vila Real

Falas ai do facebook e é outra coisa que noto, os grupos do curso parecem-me muito populares e uma boa forma de conhecer gente e falar sem ser cara a cara.

Mais uma vez, tal como com as praxes, não tenho facebook portanto também perco um pouco nesse sentido mas há tantas formas… Agora claro, um gajo não se pode isolar porque se tiveres à espera da papinha toda feita então deixas na mãos dos outros e pode haver gente muito simpática mas que simplesmente não se dá ao trabalho de te ir buscar ao teu cantinho, onde estás isolado, e trazer-te para o grupo de amigos

Exemplo, se tu tiveres sozinho e eu estiver com mais 4 ou 5 pessoas eu muito provavelmente não vou meter conversa contigo. Não é por nada, simplesmente não é o meu estilo. No entanto se vieres ter connosco e dizer qualquer merda, seja sobre o que for, já vou falar contigo na boa e se calhar até me achas um tipo porreiro e ficamos amigos

Até na merda do autocarro podes meter conversa.

 No.1251

File: 1507589619570.png (73.63 KB, 412x351, 1443212558484.png) ImgOps Google

mais um anon à procura de /con/selho aqui.

>>1225
>Aproxima-te e conversa com ela
Aqui está o meu grande problema. Não tenho coragem de me aproximar de qualquer gaja que seja porque não faço ideia como começar uma conversa. Seja no ginásio, na biblioteca, amiga de amigos, enfim.

Há uma gaja de outro curso 10/10 que já troca-mos várias vezes de olhares intensos mas eu nunca tenho coragem para fazer o que é que seja. Honestidade a parte, sou um gajo bonito e visto-me bem, saio à noite por vezes (quando não há muito trabalho) e no entanto sinto-me sempre à parte porque não iniciar conversações.

Tenho medo que seja algo bastante frio e repentino, o que tornaria toda a situação muito awkward.

Não sei se há aqui alguem como eu, mas digam-me que isto tem cura.

 No.1252

File: 1507594061566.png (659.83 KB, 1106x1012, screen shot 2015-07-30 at ….png) ImgOps Google

>>1251
Também não faço sequer a menor ideia do que dizer quer durante o dia quer nas noites.

Normalmente as minhas amigas perguntam se sou gay porque não me vêem a engatar quando vamos sair e dizem que conseguia facilmente. E depois dizem que sou muito tímido e que não falo.

O problema é que falava na boa, se soubesse o que dizer.

Já troquei bastantes olhares durante o dia e então quando saio à noite já me aconteceu várias vezes. A minha táctica é rezar e esperar que venham ter comigo. Só me aconteceu 4 vezes até hoje.

 No.1253

>>1251
>não faço ideia como começar uma conversa
faz-te de burro, pergunta qualquer coisa mesmo que já saibas, se vires que a gaja esta minimamente receptiva começa a meter conversa lol é fácil
ex: No ginásio, olá sabes como se usa esta máquina? biblioteca, sabes a que horas fecha isto? sou caloiro XDDD, puxa pela cabeça crl não estás proibido de usar o cérebro fora das aulas, o pior que pode acontecer é fazeres figura de urso e mais tarde cruzar-te com ela.
Por isso é que as praxes são importantes, andas a fazer figuras o ano inteiro depois meter conversa com uma gaja é canja

 No.1254

>>1250
Exacto. No fim de semana já vou a um arraial do pólo para conhecer mais pessoal do curso e da universidade. Eu sou o que ia para convidar a gaja ao cinema (>>1228) mas reparei que de facto ela não costuma começar conversa comigo, sou eu sempre a puxar. Por isso caguei, sinceramente. Já estou num mindset de "tenho é de me focar nos estudos e se uma gaja vier, que venha, não vou perder sono por causa disso."

 No.1255

File: 1507658910945.png (32.22 KB, 1172x675, 1506262348492.png) ImgOps Google

>>1240
bem não correu mal de todo o jantar, inicialmente fui com o meu colega de quarto para lá e acabei por ir embora da discoteca com um gajo da minha turma e um rapaz que esta a fazer erasmus cá, sentebemhomem. para variar estava a exagerar no que toca a isto de ser forever alone, antes de começar o jantar um rapaz da minha turma veio ter comigo e meteu conversa e a partir daí fui tudo mais fácil, ainda acabei por conhecer o pessoal quase todo que esta de erasmus cá e posso dizer que já nos damos muito bem. entretanto o dia de hoje já foi diferente, ainda cheguei a ir almoçar com um pessoal ao shopping graças ao bacano com quem bazei ontem à noite e lá acabei por ir perguntando coisas e eles a mim. e ainda tive oportunidade de conhecer algum pessoal da AE ontem à noite

>>1242
>Vai para as praxes, idiota.
não é preciso insultar, e não vou cair nesse meme das praxes
>Não sei em que crl de universidade andas isso deve ser é jantar de curso, ignorante.
não mano foi mesmo jantar de receção às turmas de primeiro ano, não temos muitos cursos aqui, foram turmas de licenciaturas e CTESPs + o pessoal do erasmus, óbvio que não foi toda a gente

>>1244
tou a torcer para que consigamos arranjar fofinha anónimo.

>>1246
>Se eles simplesmente não repararam em ti porque dás pouco nas vistas
sim dou pouco nas vistas mas felizmente venho de uma cidade que é relativamente conhecida por certos produtos que maior parte na minha turma conhece
>Começa por meter conversa casual com a pessoa sentada ao teu lado
maior parte das aulas não tenho ninguém ao lado só nas cadeiras à frente e atrás
>mcq à uns dias atrás a fofita que se senta à minha frente quando temos aulas no auditório meteu conversa comigo para tirar uma dúvida e eu limitei-me a responder e a não dar continuidade

>>1247
Obrigado anon
Vila Real boa terra, sou de perto



em relação às gajas cá da turma quase todas já andam em grupinhos, acham que se me abordar a alguma levam na boa? ainda houveram 4 raparigas da minha turma que foram para a discoteca depois do jantar, acham que se começar a falar com elas sobre essa noite em específico era boa ideia?

 No.1256

File: 1507659329213.jpg (183.52 KB, 937x528, Crying-Frog-Meme-06.jpg) ImgOps Exif Google

>>1255
>tou a torcer para que consigamos arranjar fofinha anónimo.
Obrigado danóninho! Vês como não é assim tão difícil? Agora deseja-me sorte é para o fim-de-semana, que vou ser exposto a tudo o que odeio só para estar com os normies: bebida, DJs de merda, jogos retardados e muito pessoal bêbado que nem um cacho.

>mcq vou provavelmente ser o único gajo a não beber mas não faz mal porque consigo socializar com pessoas, só sou atrasado mental é para arranjar namorada

 No.1257

Como é que é suposto um gajo ir comprar preservativos sem ter aquela vergonha de ir até ao balcão e ter outro ser humano a registar-nos a caixa e a falar connosco? Imaginem se um gajo de repente arranja fofinha num jantar ou saída à noite e não tem nada com que se proteja…

 No.1258

>>1257
Aquelas máquinas 24h tipo grab and go costumam ter mas são muito caros, se fores fodilham vai à falência. O melhor mesmo é comprar num supermercado ou mandar vir pela net.

 No.1259

>>1258
Já me tinha esquecido dessas, obrigado anão.

>se fores fodilham

Virgínio :(

 No.1260

>>1257
>Como é que é suposto um gajo ir comprar preservativos sem ter aquela vergonha de ir até ao balcão e ter outro ser humano a registar-nos a caixa e a falar connosco?

>>1258
>se fores fodilham


>>1259
>Virgínio :(

Lol

 No.1262

>>1253
Já não sou caloiro a muito tempo. No meu primeiro ano era muito robot e desde então já evolui bastante, tenho bastante mais amigos mas gajas continua 0.

Por isso isso de fazer de burro está fora de questão, estou regularmente na biblioteca e ginásio.

E mesmo que usasse esse método, como é que puxava a conversa para nos conhecermos?

 No.1263

>>1262

>E mesmo que usasse esse método, como é que puxava a conversa para nos conhecermos?


Sinceramente acho que as gajas não acham muita piada a isso. Penso que elas preferem gajos que fingem que são inteligentes a gajos que fingem que são burros.

Como a maior parte das gajas é bastante burra, vai-te ser mais fácil fingires que és inteligente do que fingires que és burro.

Mas se queres um exemplo podias, durante uma aula, comentar "não percebo nada disto" ou fazias-lhe uma pergunta sobre a matéria, algo óbvio que ela saberia responder. Por outro lado se te quisesses armar em inteligente podias, por exemplo, quando o professor está a complicar excessivamente um conceito simples (coisa que, segundo a minha experiência, eles fazem bastante) podias comentar com ela que o professor está a complicar tudo, que a matéria até é simples e resolvias o problema no quadro com outro método qualquer que seja mais simples e rápido.

 No.1264

>>1263
O problema é que no meu curso não há gajas. Não tenho mesmo maneira de conhecer sem ter que as abordar estupidamente.

 No.1265

Como aconselham a arranjar gaja sem ser da turma de curso? Na minha turma só há abortos excepto uma que é ex recente de um amigo meu. Por isso não posso atacar neste ambiente.


Tirando a ida às aulas com esta turma, sair à noite e ginásio, não faço mais nada.

O problema é que já nem na noite sem atacar. Nunca sei o que ir lá dizer nem sei se elas estão interessadas em mim. Fora da noite ainda pior.

O que aconselham para este caso?

 No.1266

>>1265
>Tirando a ida às aulas com esta turma, sair à noite e ginásio, não faço mais nada.
Já fazes bastante

>Como aconselham a arranjar gaja sem ser da turma de curso?

O melhor mesmo é ter amigos/conhecidos nesses mesmos cursos e tentar conhecer as meninas de lá.



[Return][Go to top] [Catalog] [Post a Reply]
Delete Post [ ]
[ * ] [ c / des / n / t / u ] [ int / luso ] [ b / con / pol / xxx ] [ meta ] [ doar / info / regras / notícias / https / git ]